terça-feira, 23 de maio de 2017

Canoas do Tejo




Canoa de vela erguida,
Que vens do Cais da Ribeira,
Gaivota, que andas perdida,
Sem encontrar companheira

O vento sopra nas fragas,
O Sol parece um morango,
E o Tejo baila com as vagas
A ensaiar um fandango

Canoa,
Conheces bem
Quando há norte pela proa,
Quantas docas tem Lisboa,
E as muralhas que ela tem

Canoa,
Por onde vais?
Se algum barco te abalroa,
Nunca mais voltas ao cais,
Nunca, nunca, nunca mais

Canoa de vela panda,
Que vens da boca da barra,
E trazes na aragem branda
Gemidos de uma guitarra

Teu arrais prendeu a vela,
E se adormeceu, deixa-lo
Agora muita cautela,
Não vá o mar acordá-lo




Autor da Letra: Frederico de Brito
Interprete: Carlos do Carmo

13 comentários:

  1. Ah, que lindo!
    Amei, amei!... Vontade de conhecer o Tejo!

    Beijos, boa semana! =)

    ResponderEliminar
  2. Bela letra, linda melodia e uma excelente interpretação do Carlos do Carmo. Ótima escolha! Parabéns Maria!

    Beijos e uma ótima semana para ti e para os teus.

    Furtado

    ResponderEliminar
  3. Una letra preciosa para tan bello poema.
    Un abrazo, Maria.

    ResponderEliminar
  4. Bom dia querida amiga tantas vezes já ouvi este lindo poema na voz do Carlos do Carmo ,desejo-lhe uma terça-feira muito feliz beijinhos

    ResponderEliminar
  5. Não só eu que Gosto muito desta canção mas também muitos Lusos
    Abraço

    ResponderEliminar
  6. Gosto tanto desta musica!!
    Bela escolha de poema. Amei. Obrigada pela partilha

    beijinhos

    ResponderEliminar
  7. Em março, andei pelo cais da Ribeira, de barco
    e conheci Bélém ,
    lindas imagens, escelente música
    um privilégio por ver tao lindas paisagens
    bjs

    ResponderEliminar
  8. Um poema esplêndido que nos envolve e nos faz voar na imaginação do poeta
    Um dia iluminado e feliz
    Beijos

    ResponderEliminar
  9. Oi Maria!

    Lindo poema e linda música! Amei!

    Abraços, Iris

    ResponderEliminar
  10. Querida Maria, suas postagens sempre me encantam, gostei demais e agradeço a linda partilha.
    beijinhos, Léah

    ResponderEliminar
  11. O poema é lindíssimo! Cantada por uma grande voz Carlos do Carmo.
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  12. Lindo demais Maria!
    Que bela partilha, que viagem emocionante.
    Um poema maravilhoso amiga.
    Uma canoa e uma linda inspiração nesta loa ao Tejo.
    Bjs e que a semana esteja leve e alegre.

    ResponderEliminar
  13. Um poema fabuloso e fabulosamente bem interpretado pelo Carlos do Carmo.
    Há poemas e cantores eternos.

    Excelente escolha

    Bjgrande do Lago

    ResponderEliminar

“Aqueles que passam por nós, não vão sós, não nos deixam sós. Deixam um pouco de si, levam um pouco de nós” (Antoine de Saint-Exupery).

Obrigado pela sua visita e pelo carinho que demonstrou, ao dispensar um pouco do seu tempo, deixando aqui no meu humilde cantinho, um pouco de si através da sua mensagem.