quarta-feira, 1 de agosto de 2012

Koala


A história da Vida na Terra é uma história de extinções, estas extinções naturais ocorrem, no entanto, ao longo de períodos relativamente longos, permitindo a evolução de novas formas de vida. Muitos animais evoluíram e depois extinguiram-se e o seu lugar na natureza é então ocupado por outro grupo de animais. Isto não é o que acontece na actualidade, com a ajuda do Homem!



Penso que é importante ir sempre “passando” a mensagem da importância de preservarmos a Natureza, a vida selvagem, o ambiente, “O nosso magnifico Planeta”.

A extinção é o desaparecimento irreversível de espécies e acontece quando o último animal de uma determinada espécie morre.

Hoje: KOALA



Nome Científico: Phascolarctos cinerus
Ordem: Diprotodontia
Família: Phascolarctidae
 



Distribuição e Habitat :
Os Koalas encontram-se no Leste e no Sudeste da Austrália, em florestas de eucaliptos, que são a sua fonte de alimentação. A sua distribuição tem muito a ver com o tipo de eucalipto que existe em cada área, já que a base da sua alimentação compreende apenas cerca de 20 entre as mais de 350 espécies de eucaliptos que podem ser encontradas na Austrália.




Identificação:
O nome “koala” deriva do dialecto aborígene e significa “não bebe”. O nome científico deriva das palavras gregas “phaskolon” (“bolsa”) e “arktos” (“urso”) e da palavra latina “cinereus” (cor de cinza). A pelagem é macia, de cor cinzenta, mesclada na região dorsal e branca na região ventral do corpo. A cabeça é arredondada e as orelhas são grandes e peludas. O nariz é grande, geralmente de cor negra e não apresenta pêlos.




Hábitos e Alimentação:
São animais arbóreos de hábitos nocturnos. São solitários ou vivem em pequenos grupos. Apesar do seu peso (os machos pesam cerca de 10 kg e as fêmeas cerca de 8 kg), são excelentes trepadores. Embora sejam muito lentos e evitarem gastar demasiadas energias, os koalas sobem às copas destas árvores, onde encontram as folhas mais tenras. Dada a pobreza da sua alimentação, os koalas necessitam de dormir muitas horas. Um animal adulto dorme entre 16 e 18 horas por dias, sendo as restantes dedicadas quase exclusivamente à alimentação e à sua procura.



Reprodução:
O período de acasalamento ocorre de Setembro a Janeiro. Nesta altura, os machos marcam os ramos com os odores provenientes das glândulas que possuem no peito. Estes odores e as vocalizações que emitem atraem as fêmeas no cio. Os machos lutam entre si e cada um procura manter um grupo de fêmeas reprodutoras, durante a época de acasalamento. O período de gestação é de cerca 35 dias, após os quais o recém-nascido migra para a bolsa marsupial, onde permanece mamando durante cerca de sete meses. Desloca-se em seguida para o dorso da progenitora, ao qual se agarra até ao primeiro ano de idade.




Estatuto de conservação e principais ameaças:
No final do século XIX, existiam populações numerosas, mas a desflorestação, os fogos, as doenças e a caça excessiva por desporto e para o comércio de peles dispersaram os indivíduos e quase levaram a espécie à extinção, no início do século XX. Durante a última metade do século XX, graças aos esforços realizados para a sua conservação, as populações têm vindo a recuperar.




Fontes: Wikipedia; Portlasaofrancisco; http://www.worldzootoday.com/; treknature; Enciclopédia a Vida Animal; http://www.zoo.pt/; http://www.desktopwallpaperhd.com/; http://www.walldesk.com.br/; http://www.hiren.info/desktop-wallpapers/; http://www.koalas.org/; http://www.fotopedia.com/; http://www.pcdesktopwallpaper.com/; http://blogs.scientificamerican.com/, http://www.flickr.com/; http://www.pbs.org/wnet/nature/, outros



“A Terra provê o suficiente para as necessidades de todos os homens, mas não para a voracidade de todos.” (Mahatma Gandi) .

8 comentários:

  1. Olá Maria,
    Magnífico post de sensibilização para a protecção da Natureza, para conservar a sua biodiversidade.
    No fundo... a Natureza quando não tem o Homem por perto, acaba por ser algo com muita harmonia e paz.
    Um abraço,

    ResponderEliminar
  2. Que lindinhos!!Quantas coisas não sabia sobre eles.Legal! beijos,chica

    ResponderEliminar
  3. Olá Maria, esta postagem é inteligente e espero que seja a 1ª de muitas.

    QUE VIVAM OS KOALAS!!!!

    Abração
    Jan

    ResponderEliminar
  4. querida Maria,
    oxalá não fique em filmes e museus para lamento futuro..
    belo post.
    beijos

    ResponderEliminar
  5. Querida amiga
    Muito, muito obrigada pelas suas palavras de conforto.
    É às recordações dos momentos felizes, (que, graça a Deus, são inúmeras) que me agarro para ajudar a mitigar um pouco esta dor que ainda é tão profunda.
    Sei que só o tempo poderá fazer o que agora me parece um milagre - aceitar! Tenho, pois, que esperar que ele passe...

    Um beijinho GRANDE e muito grato

    ResponderEliminar
  6. Maria minha querida amiga
    Excelente! Adorei, como sou uma apixonada pela Natureza, pena que onde nós homens colocamos a mão destruimos.

    Beijinho e uma flor

    ResponderEliminar
  7. Oi Maria
    Muito bom saber mais sobre esse animalzinho tão diferente e que precisamos preservar.
    Gosto de novidades sobre o mundo animal,sobre a natureza.Tudo tão rico!
    Obrigada pela dedicação e carinho
    abraços, adorei!

    ResponderEliminar
  8. As fotos são uma ternura...e a mensagem muito certa.

    Um abraço grande, minha amiga

    ResponderEliminar

“Aqueles que passam por nós, não vão sós, não nos deixam sós. Deixam um pouco de si, levam um pouco de nós” (Antoine de Saint-Exupery).

Obrigado pela sua visita e pelo carinho que demonstrou, ao dispensar um pouco do seu tempo, deixando aqui no meu humilde cantinho, um pouco de si através da sua mensagem.