domingo, 12 de agosto de 2012

Fantasia - Poema de Alfredo Brochado




Há uma mulher em toda a minha vida,
Que não se chega bem a precisar.
Uma mulher que eu trago em mim perdida,
Sem a poder beijar.

Há uma mulher na minha vida inquieta.
Uma mulher? Há duas, muitas mais,
Que não são vagos sonhos de poeta,
Nem formas irreais.

Mulheres que existem, corpos, realidade,
Têm passado por mim, humanamente,
Deixando, quando partem, a saudade
Que deixa toda a gente.

Mas coisa singular, essa que eu não beijei,
É quem me ilude, é quem me prende e quer.
Com ela sonho e sofro... Só não sei
Quem é essa mulher.

Alfredo Brochado



15 comentários:

  1. Olá, Maria. Belissimo poema! Não conheço o autor. Adorei amiga! Obrigada pela carinhosa visita. È uma alegria a sua visita! Um feliz domingo pra vc sempre com paz e muito amor. Beijos!

    ResponderEliminar
  2. Maria, que lindo poema escolhestes.
    Não conheço Alfredo Brochado, mas irei procurar mais poesias dele para ler.
    Tenha um final de semana de muita paz.
    Beijos.

    ResponderEliminar
  3. Olá, querida amiga Maria!

    Um lindo e inspirador poema, amiga! Obrigado pela partilha.
    Aproveito para desejar-lhe um domingo de paz e muitas alegrias.

    Felicidades sempre!

    Um beijo do amigo de sempre!!!

    ResponderEliminar
  4. Oi Maria.
    Lindo poema!!Muito meigo!!
    Tenha um a boa semana.
    Bjs.

    ResponderEliminar
  5. A eterna insatisfação humana....

    Bom domimngo, amiga.

    ResponderEliminar
  6. Muito linda!!Ótimo domingo!beijos,chica

    ResponderEliminar
  7. Um lindo poema.Feliz dia dos pais pra você.

    ResponderEliminar
  8. Querida amiga
    Agradecendo os seus votos, desejo um Domingo radioso e uma semana plena de satisfações.

    Beijinhos

    PS - Lindo poema!

    ResponderEliminar
  9. Maria minha amiga
    Não conheço o autor, gostei imenso do poema, que me transmite um amor insatisfeito, talvez não correspondido.
    Boa semana minha querida amiga

    beijinho e uma flor

    ResponderEliminar
  10. Oi Maria,
    Demorei, mas, depois de muitos altos e baixos, encontrei a mulher que existe em mim...
    Sou eu!;-)

    Abração
    Jan

    PS: Belo poema e belíssimo post.

    ResponderEliminar
  11. Belíssimo poema... ótima escolha para compartilhar conosco, querida.
    Boa semana, beijinhos
    Valéria

    ResponderEliminar
  12. Não conhecia o poema. Mas é indefinido como indefinido é o nome da mulher.

    Boa semana.

    Beijo

    Laura

    ResponderEliminar
  13. Olá Maria, não recordava deste autor, gostei do poema.
    Não saber quem é (a mulher) pode ter alguns significados.

    Beijos

    ResponderEliminar
  14. Que poema lindo, que doce amor sonhado e não realizado!
    Não conhecia o poeta mas gostei muito, aplausos!
    A imagem, belíssima...

    Beijos amiga querida!

    ResponderEliminar

“Aqueles que passam por nós, não vão sós, não nos deixam sós. Deixam um pouco de si, levam um pouco de nós” (Antoine de Saint-Exupery).

Obrigado pela sua visita e pelo carinho que demonstrou, ao dispensar um pouco do seu tempo, deixando aqui no meu humilde cantinho, um pouco de si através da sua mensagem.

Topo