terça-feira, 23 de agosto de 2011

Poema do Amigo Profeta






Um barco parado no cais de espera
Amarras soltas do frio ferro
Uma gaivota adormeceu sem penas
Uma criança chora no meio do aterro

Cheio de penas amarro a alma
Uma saudade arrocha meu peito
Sou um caçador de nuvens breves
Um romântico sem ponta de jeito

Um barco de papel perdido do norte
Roseira plantada num campo de pedras nuas
Uma casa perdida da sua cidade
Um labirinto feito de mil e muitas ruas

Poema oferecido pelo amigo Profeta do blog "O Profeta” um cantinho encantador onde a poesia toca o coração de quem lá chega. Merece sem sombra de dúvidas uma visita.

Obrigado Amigo



"A poesia é a música da alma, e, sobretudo, de almas grandes e sentimentais." (Voltaire)

2 comentários:

  1. Boa noite querida Maria, ja passei por la e li, muito lindo mesmo, e o mesmo passou em meu blog., e deixou-me esse agrado tambem, tua poesia...belo mesmo e encantador...abraços e fique com DEUS!

    ResponderEliminar
  2. Ouça com o coração quando quase lhe parecer silêncio: é o meu amor falando baixinho só pra não acordar o seu medo de amar...

    Ana Jácomo

    Beijos poéticos....M@ria

    ResponderEliminar

“Aqueles que passam por nós, não vão sós, não nos deixam sós. Deixam um pouco de si, levam um pouco de nós” (Antoine de Saint-Exupery).

Obrigado pela sua visita e pelo carinho que demonstrou, ao dispensar um pouco do seu tempo, deixando aqui no meu humilde cantinho, um pouco de si através da sua mensagem.