sexta-feira, 12 de agosto de 2011

Metade - Poema Oswaldo Montenegro





Que a força do medo que eu tenho,
não me impeça de ver o que anseio.
Que a morte de tudo o que acredito
não me tape os ouvidos e a boca.
Porque metade de mim é o que eu grito,
mas a outra metade é silêncio…
Que a música que eu ouço ao longe,
seja linda, ainda que triste…
Que a mulher que eu amo
seja para sempre amada
mesmo que distante.
Porque metade de mim é partida,
mas a outra metade é saudade.




Que as palavras que eu falo
não sejam ouvidas como prece
e nem repetidas com fervor,
apenas respeitadas,
como a única coisa que resta
a um homem inundado de sentimentos.
Porque metade de mim é o que ouço,
mas a outra metade é o que calo.
Que essa minha vontade de ir embora
se transforme na calma e na paz
que eu mereço.
E que essa tensão
que me corrói por dentro
seja um dia recompensada.
Porque metade de mim é o que eu penso,
mas a outra metade é um vulcão.




Que o medo da solidão se afaste
e que o convívio comigo mesmo
se torne ao menos suportável.
Que o espelho reflita em meu rosto,
um doce sorriso,
que me lembro ter dado na infância.
Porque metade de mim
é a lembrança do que fui,
a outra metade eu não sei.
Que não seja preciso
mais do que uma simples alegria
para me fazer aquietar o espírito.
E que o teu silêncio
me fale cada vez mais.
Porque metade de mim
é abrigo, mas a outra metade é cansaço.




Que a arte nos aponte uma resposta,
mesmo que ela não saiba.
E que ninguém a tente complicar
porque é preciso simplicidade
para fazê-la florescer.
Porque metade de mim é platéia
e a outra metade é canção.
E que a minha loucura seja perdoada.
Porque metade de mim é amor,
e a outra metade…
também

Oswaldo Montenegro




"Todas as nossas palavras serão inúteis se não brotarem do fundo do coração. As palavras que não dão luz aumentam a escuridão." Madre Teresa de Calcutá

12 comentários:

  1. Olá Maria,
    Parabéns pelo maravilhoso post.
    As imagens são belíssimas.
    A letra da música de Oswaldo Montenegro é
    brilhante, traduz nossa dualidade na existência.
    Somente somos completos no amor.
    Beijos.

    ResponderEliminar
  2. Sempre gostei de Oswaldo Montenegro.
    Só podia ser um lindo poema. E que belíssimas imagens!
    Bom fim de semana.

    ResponderEliminar
  3. 'E que o teu silêncio
    me fale cada vez mais.
    Porque metade de mim
    é abrigo, mas a outra metade é cansaço.'
    ........................
    Adorei este poema...era o que precisava ler
    neste momento....
    Beijo

    ResponderEliminar
  4. Oi, amiga, saudade de passar por aqui...

    Lindo poema...

    Nós sempre somos metades, como se fôssemos duas pessoas dentro de uma só, com jeitos diferentes de ser.. Isso nos inquieta e nos assusta.

    Aprendemos assim a nos conhecer melhor e a lidar com esses sentimentos tão confusos, mas tão necessários para o nosso crescimento.

    Bjs
    Chris

    ResponderEliminar
  5. minha querida

    Maravilhoso...tanto as imagens como os poemas, é uma viagem pela sensibilidade da alma.

    deixo um beijinho desejando bom fim de semana
    Rosa

    ResponderEliminar
  6. Amiga querida, aqui há um enlevo, e um sopro de felicidade, que em conjunto com essas letras, faz com que sintamos essa suavidade toda quando lemos tão bela postagem.
    Um fraterno abraço.
    Beijos.

    ResponderEliminar
  7. Maria

    Poema cheio de verdade e simplicidade de Oswaldo Montenegro. Muita sensibilidade na tua opção, o mesmo nas ilustrações que parecem coordenar-se, para que o conjunto se torne muito agradável
    Beijos

    ResponderEliminar
  8. Querida Maria. Estou feliz por passar por aqui! Seu cantinho tão belo ,acolhedor tem muito amor por aqui. Belos versos de Osvaldo Montenegro um dos grandes poetas da música brasileira. Bjos com carinho e um lindo fim de semana!

    ResponderEliminar
  9. Gosto muito do Montenegro.Lindo tudo aqui8!beijos,tudo de bom,chica e lindo domingo!

    ResponderEliminar
  10. Um post bem rechedo em riqueza de poesia e imagens!
    Bjs

    ResponderEliminar
  11. Maria,como sempre belíssima escolha.A unidade no amor é uma aprendizagem permanente.Um abraço e uma boa semana.Tita

    ResponderEliminar

“Aqueles que passam por nós, não vão sós, não nos deixam sós. Deixam um pouco de si, levam um pouco de nós” (Antoine de Saint-Exupery).

Obrigado pela sua visita e pelo carinho que demonstrou, ao dispensar um pouco do seu tempo, deixando aqui no meu humilde cantinho, um pouco de si através da sua mensagem.

Topo