sexta-feira, 21 de outubro de 2011

O Vento na Ilha





O vento é um cavalo
Ouça como ele corre
Pelo mar, pelo céu.
Quer me levar: escuta
como recorre ao mundo
para me levar para longe.

Me esconde em teus braços
por somente esta noite,
enquanto a chuva rompe
contra o mar e a terra
sua boca inumerável.

Escuta como o vento
me chama calopando
para me levar para longe.

Com tua frente a minha frente,
com tua boca em minha boca,
atados nossos corpos
ao amor que nos queima,
deixa que o vento passe
sem que possa me levar.

Deixa que o vento corra
coroado de espuma,
que me chame e me busque
galopandanto eu, emergido
debaixo teus grandes olhos,
por somente esta noite

descansarei, amor meu.

Pablo Neruda


8 comentários:

  1. Pablo Neruda tem sempre magia!

    Bom fim de semana.

    Beijo

    ResponderEliminar
  2. Que lindo poema de Neruda!! Bela escolha amiga.Os ventos trazem o sabor da maresia, a espera da chuva e o perfume da natureza.São alvissareiros.Tenha um dia encantador.Bjs Eloah
    De uma Ilha bem distante a Ilha que abriga a cidade de Florianópolis-Santa Catarina -Brasil

    ResponderEliminar
  3. Querida Maria

    Mágico este vento que Pablo Neruda diviniza, com um poder enorme em nome do amor.

    Beijos

    Olinda

    P.S.
    Não podido vir ao seu blogue, e aos outros todos :(. Tenho tido problemas com o computador, logo, com dificuldades de acesso à Net. Obrigada pelo Miminho, o selo que me ofereceu há dias. Ontem tentei levá-lo mas não consegui. Hei-de voltar para isso :)

    Bj

    ResponderEliminar
  4. Belíssimoooo poema minha querida...que sublime escolha...
    Tenha um ótimo final de semana amiga...beijos
    Valéria

    ResponderEliminar
  5. bomdia minha linda e carinhosa amiga!
    Que bom vim aqui para beber teus escritos...vc trouxe um poema tão lindo do Pablo...amei ao ler...viagei no infinito...
    bjsssssssssssssssssss

    ResponderEliminar
  6. Grato por partilhar esta linda poesia.
    Abraço e bom final de semana.

    ResponderEliminar
  7. MARIA, gostei muito da poesia e da delicadeza contida na imagem.

    Abraços

    Paloma

    ResponderEliminar
  8. Incondicinalmente fã de Neruda,só posso dizer:que bela escolha,Maria.Um abraço.Tita

    ResponderEliminar

“Aqueles que passam por nós, não vão sós, não nos deixam sós. Deixam um pouco de si, levam um pouco de nós” (Antoine de Saint-Exupery).

Obrigado pela sua visita e pelo carinho que demonstrou, ao dispensar um pouco do seu tempo, deixando aqui no meu humilde cantinho, um pouco de si através da sua mensagem.