quinta-feira, 11 de julho de 2019

Espera - Poema de Eugénio de Andrade



Horas, horas sem fim,
pesadas, fundas,
esperarei por ti
até que todas as coisas sejam mudas.


Até que uma pedra irrompa
e floresça.
Até que um pássaro me saia da garganta
e no silêncio desapareça.


Eugénio de Andrade
De As Mãos e os Frutos




9 comentários:

  1. Hello Dear Maria!
    A beautiful, reflective poem.
    Hugs and greetings:)

    ResponderEliminar
  2. Excelente poema!! Amei!

    Beijos e um excelente dia!

    ResponderEliminar
  3. Querida Maria

    Um poema belíssimo deste Poeta que sabe dizer coisas que vão direitinhas ao coração.
    Adoro a Poesia de Eugénio de Andrade. Obrigada.

    Beijo

    Olinda

    ResponderEliminar
  4. Bellas imágenes las que acompañan este lindo poema.

    Saludos.

    ResponderEliminar
  5. Lindo poema
    Gostei
    Bjs

    Kique

    Hoje em Caminhos Percorridos - DIA RUIM NO TRABALHO

    ResponderEliminar
  6. Gosto da poesia de Eugénio de Andrade.
    Foi bom encontrá-lo aqui.
    Beijo.

    ResponderEliminar
  7. A most beautiful image and poem.

    All the best Jan

    ResponderEliminar

“Aqueles que passam por nós, não vão sós, não nos deixam sós. Deixam um pouco de si, levam um pouco de nós” (Antoine de Saint-Exupery).

Obrigado pela sua visita e pelo carinho que demonstrou, ao dispensar um pouco do seu tempo, deixando aqui no meu humilde cantinho, um pouco de si através da sua mensagem.

Topo