quarta-feira, 25 de julho de 2018

Garras dos Sentidos - Augustina Bessa-Luís




Não quero cantar amores,
Amores são passos perdidos.
São frios raios solares,
Verdes garras dos sentidos.

São cavalos corredores
Com asas de ferro e chumbo,
Caídos nas águas fundas.
Não quero cantar amores.

paraísos proibidos,
contentamentos injustos,
Feliz adversidade,
Amores são passos perdidos.

São demência dos olhares,
Alegre festa de pranto,
São furor obediente,
São frios raios solares.

Da má sorte defendidos
Os homens de bom juízo
Têm nas mãos prodigiosas
Verdes garras dos sentidos.

Não quero cantar amores
Nem falar dos seus motivos.


Autor Augustina  Bessa-Luís, In Garra dos Sentidos 98


14 comentários:

  1. Agustina foi sempre uma das minhas favoritas.
    Bjs

    ResponderEliminar
  2. Gostei mt do poema quenos faz imaginar e pensar assim como a foto que é mt bonita bjs

    ResponderEliminar
  3. Um poema muitíssimo reflexivo e profundo! O amor é para ser vivido e demonstrado com atitudes sinceras...
    Beijinho

    ResponderEliminar
  4. Adorei o poema. Foi uma boa escolha :))

    Bjos
    Votos de um óptimo fim de tarde.

    ResponderEliminar
  5. Un canto al amor infinito, que no finaliza con la muerte .

    Besos

    ResponderEliminar
  6. Bonito poema dessa grande senhora que nos deixou uma obra memorável.
    Bjs

    Hoje em Caminhos Percorridos - ARTE ARTESANAL

    ResponderEliminar
  7. Um belíssimo poema de Augustina... que adorei descobrir, por aqui...
    Beijinhos
    Ana

    ResponderEliminar

“Aqueles que passam por nós, não vão sós, não nos deixam sós. Deixam um pouco de si, levam um pouco de nós” (Antoine de Saint-Exupery).

Obrigado pela sua visita e pelo carinho que demonstrou, ao dispensar um pouco do seu tempo, deixando aqui no meu humilde cantinho, um pouco de si através da sua mensagem.

Topo