sábado, 21 de novembro de 2015

Dia - Poema de Octavio Paz




De que céu caído,
oh insólito,
imóvel solitário na onda do tempo?
És a duração,
o tempo que amadurece
num instante enorme, diáfano:
flecha no ar,
branco embelezado
e espaço já sem memória de flecha.
Dia feito de tempo e de vazio:
desabitas-me, apagas
meu nome e o que sou,
enchendo-me de ti: luz, nada.

E flutuo, já sem mim, pura existência.


Octavio Paz, in "Liberdade sob Palavra"
Tradução de Luis Pignatelli



20 comentários:

  1. Um belo poema de Octávio Paz.
    Um abraço e bom fim de semana.

    ResponderEliminar
  2. Grande Octavio Paz!
    Un beso María y que tengas un estupendo finde :)

    ResponderEliminar
  3. Que bela poesia, um sabado maravilhoso apra você e família
    Novo Vídeo: https://www.youtube.com/watch?v=06avCiMDYGA
    Blog:http://arrasandonobatomvermelho.blogspot.com.br

    ResponderEliminar
  4. Poema soberbo! Parabéns..

    Beijo, bom fim de semana.

    http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  5. Adoro a poética do mestre poeta Octavio Paz!

    Querida Maria, gosto muito deste teu espaço de arte,
    as vezes, me falta o tempo suficiente para comentar
    todas as postagens, ricas da tua sensibilidade,
    excelente bom gosto e poesia pura do teu olhar
    nas escolhas que nos presenteia. Grata por sempre te ler...
    Um final de semana luminoso!
    Beijinho.

    ResponderEliminar
  6. Belo poema!!!!! Ótima tarde!!!!!! Beijos..

    ResponderEliminar
  7. Agradeço-lhe a partilha, Maria, este poema é dos que perduram...

    Um bom final de semana :)

    ResponderEliminar
  8. Assim é o tempo... existe em nós... desabitando-nos a cada segundo que passa...
    A essência do tempo, tão bem revelada, neste maravilhoso poema!
    Como sempre, uma excelente escolha!
    Beijinhos! Bom domingo!
    Ana

    ResponderEliminar
  9. Olá Maria Rodrigues
    Passando por aqui para agradecer a sua visita ao meu blog, gostei muito daqui. Um forte abraço.

    ResponderEliminar
  10. Muito bonito.

    Isabel Sá
    http://brilhos-da-moda.blogspot.pt

    ResponderEliminar
  11. Bela escolha,o tempo não para,e com ele vamos juntos.
    Lindo poema!
    Vim agradecer o seu carinho,em seguir meu blog.
    Beijinhos e um ótimo Domingo.

    ResponderEliminar
  12. Que precioso momento poético do autor. Belíssimo!
    Um domingo iluminado
    Beijo grande

    ResponderEliminar
  13. ✿ه°
    Assim é o tempo... "assim caminha humanidade"!...

    Ótimo domingo! Boa semana!
    Beijinhos.
    ♪♫˚·.♩

    ResponderEliminar
  14. Um belíssimo poema, que não conhecia e gostei muito de ler. Bjs.

    ResponderEliminar
  15. Minha Querida Amiga Maria.
    Agradeço muito por passar no meu blog e chegando a época quase de Natal
    sinto um calafrio na minha alma.
    Deus abençoe seu Domingo.
    Uma semana de paz.
    Evanir.

    ResponderEliminar
  16. Belíssima escolha de um belo poema!!!
    Beijo.

    ResponderEliminar
  17. Às vezes ausentarmo-nos um pouco de nós, torna-nos leves. Para que
    acima de nós flutuemos.
    Belíssimo poema de O. Paz!
    xx

    ResponderEliminar

“Aqueles que passam por nós, não vão sós, não nos deixam sós. Deixam um pouco de si, levam um pouco de nós” (Antoine de Saint-Exupery).

Obrigado pela sua visita e pelo carinho que demonstrou, ao dispensar um pouco do seu tempo, deixando aqui no meu humilde cantinho, um pouco de si através da sua mensagem.

Topo