sexta-feira, 18 de abril de 2014

Entre brumas ... Um divagar pela ... Solidão


Há dias em que sentimos com mais intensidade o fardo da solidão.
À medida que nos elevamos, monte acima, no desempenho do próprio dever, experimentamos a solidão dos cimos e uma profunda tristeza nos dilacera a alma sensível. 




Onde se encontram os que sorriam connosco no parque primaveril da primeira mocidade?
Onde pousam os corações que nos buscavam no aconchego das horas de fantasia?
Onde se acolhem aqueles com quem partilhavamos o pão e o sonho, nas aventuras felizes do início?
Por certo, ficaram...
Ficaram no vale, voando em círculo estreito, à maneira das borboletas douradas, que se esfacelam ao primeiro contacto da menor chama de luz que se lhes descortine à frente.
Em torno de nós, a claridade, mas também o silêncio...
Dentro de nós, a felicidade de saber, mas igualmente a dor de não sermos compreendidos...
Nossa voz grita sem eco e o nosso anseio se alonga em vão.
Entretanto, se realmente subimos, que ouvidos nos poderiam escutar a grande distância e que coração faminto de calor do vale se abalançaria a entender, de pronto, os nossos ideais de altura? 




Choramos, indagamos e sofremos...
Contudo, que espécie de renascimento não será doloroso?
A ave, para libertar-se, destrói o berço da casca em que se formou, e a semente, para produzir, sofre a dilaceração na cova desconhecida.
A solidão com o serviço aos semelhantes gera a grandeza.
A rocha que sustenta a planície costuma viver isolada e o sol que alimenta o mundo inteiro brilha sozinho. 




Não nos cansemos de aprender a ciência da elevação.
Lembremo-nos do Senhor Jesus que escalou o Calvário, com a cruz aos ombros feridos. Ninguém O seguiu na morte afrontosa, à excepção de dois malfeitores, constrangidos à punição, em obediência à justiça.
Não relacionemos os bens que, porventura, já houvermos espalhado.
Confiemos no infinito bem que nos aguarda. 




Não esperemos pelos outros, na marcha de sacrifício e engrandecimento.
E não nos esqueçamos que, pelo ministério da redenção que exerceu para todas as criaturas, o Divino Amigo da Humanidade não somente viveu, lutou e sofreu sozinho, mas também foi perseguido e crucificado.
O sacrifício na cruz é a mais bela lição de resignação que o Mestre nos legou.
Sem nenhuma imposição conclamou-nos: Quem quiser vir após Mim, tome a sua cruz, negue a si mesmo e siga-Me.
O que equivale a dizer que tomemos a cruz dos nossos sofrimentos com abnegação, e escalemos a montanha da ascensão espiritual, confiantes Naquele que nos fez o convite.
E, embora com os pés sangrando, ao chegarmos no topo do monte, depararemos com a planície florida e a estrada iluminada que nos conduzirá ao Mestre.

Recordemo-Lo portanto, e sigamo-Lo... 




Texto do SITE: Momento de Reflexão
Fotos: Net e Composição Pessoal




15 comentários:

  1. Amiga Maria!
    Belo texto e muito bem escolhido para essa época.
    Desejo a você e a sua família uma Páscoa com união, alegria e saúde.
    Sua mãe melhorou?
    Beijinhos.

    ResponderEliminar
  2. Um texto profundo, para uma grande reflexão. As imagens,belíssimas, nos leva à harmoniosa introspecção, tão oportuna para o momento. Obrigada, Maria, tenha uma Bela e Santa Páscoa!

    ResponderEliminar
  3. Que bela postagem, cheia de reflexões.
    Vim desejar a ti e seus familiares uma feliz e abençoada Páscoa, beijos

    ResponderEliminar
  4. Um texto lindo com belas imagens!
    Páscoa Feliz!

    ResponderEliminar
  5. Minha querida

    Hoje passando para desejar uma Feliz Páscoa , plena de amor e paz, junto de todos que te são queridos.

    Um beijinho com carinho
    Sonhadora

    ResponderEliminar

  6. Texto muito lindo, Cara Maria.
    E a imagens o acompanham na perfeição.
    Obrigada.
    Desejo-lhe uma Pás Feliz ao lado de toda a Família.

    Bjs

    Olinda

    ResponderEliminar
  7. Olá, Maria. Uma belissima e profunda reflexção que toca o coração com suas verdades. Belas imagem! Que caminhemos com jesus. Obrigada por partilhar! Uma abençoada Páscoa para vc e todos os seus. Bjos!

    ResponderEliminar
  8. Que linda refexão Maria!
    Foi bom demais refletir com você amiga querida.
    Um Santa e feliz Páscoa para você e todos que ama.
    Fotos maravilhosas.
    Grande beijo em seu coração.

    ResponderEliminar
  9. pretty nice blog, following :)

    ResponderEliminar
  10. Maria Soares
    Belíssimo post refletivo. Todas estas intervenções, nunca são demais para nos estimular.
    Beijinhos

    ResponderEliminar

  11. Ha sido un placer visitar tu bloc, te invito a visitar el mío, i el nuevo post sobre la Pascua y sus dulces que te encantaran.
    Espero que nos volvamos a ver y si no eres seguidora me encantaría que lo fueras, te espero en mi bloc elracodeldetall.blogspot.com

    ResponderEliminar
  12. Bela reflexão, Maria!
    Espero tenha passado uma bela Páscoa.
    Beijinho.

    ResponderEliminar

“Aqueles que passam por nós, não vão sós, não nos deixam sós. Deixam um pouco de si, levam um pouco de nós” (Antoine de Saint-Exupery).

Obrigado pela sua visita e pelo carinho que demonstrou, ao dispensar um pouco do seu tempo, deixando aqui no meu humilde cantinho, um pouco de si através da sua mensagem.

Topo