segunda-feira, 29 de agosto de 2016

Ainda que Mal - Carlos Drummond de Andrade





Ainda que mal pergunte,
ainda que mal respondas;
ainda que mal te entenda,
ainda que mal repitas;
ainda que mal insista,
ainda que mal desculpes;
ainda que mal me exprima,
ainda que mal me julgues;
ainda que mal me mostre,
ainda que mal me vejas;
ainda que mal te encare,
ainda que mal te furtes;
ainda que mal te siga,
ainda que mal te voltes;
ainda que mal te ame,
ainda que mal o saibas;
ainda que mal te agarre,
ainda que mal te mates;
ainda assim te pergunto
e me queimando em teu seio,
me salvo e me dano: amor.


Carlos Drummond de Andrade



7 comentários:

  1. Bom dia Maria
    Que linda poesia, ainda não a conhecia, apesar de amar Drummond.
    Tenha uma ótima semana,
    grande beijo

    ResponderEliminar
  2. Tão bom reler aqui este poema de Carlos Drummond de Andrade! Obrigada pela partilha.
    Uma boa semana.
    Beijos.

    ResponderEliminar
  3. Fabuloso poema! Amei

    Beijo e uma excelente semana.

    http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  4. Boa tarde, belo poema de Carlos Drummond de Andrade é significativo, é profundo.
    Boa semana,
    AG

    ResponderEliminar
  5. Ainda bem que aqui estou para ler tão belos momentos ,beijinhos querida amiga.

    ResponderEliminar

“Aqueles que passam por nós, não vão sós, não nos deixam sós. Deixam um pouco de si, levam um pouco de nós” (Antoine de Saint-Exupery).

Obrigado pela sua visita e pelo carinho que demonstrou, ao dispensar um pouco do seu tempo, deixando aqui no meu humilde cantinho, um pouco de si através da sua mensagem.