quarta-feira, 10 de julho de 2013

Pedra Filosofal - Poema de António Gedeão



Pedra Filosofal

Eles não sabem que o sonho
é uma constante da vida
tão concreta e definida
como outra coisa qualquer,
como esta pedra cinzenta
em que me sento e descanso,
como este ribeiro manso
em serenos sobressaltos,
como estes pinheiros altos
que em verde e oiro se agitam,
como estas aves que gritam
em bebedeiras de azul.


Eles não sabem que o sonho
é vinho, é espuma, é fermento,
bichinho álacre e sedento,
de focinho pontiagudo,
que fossa através de tudo
num perpétuo movimento.

Eles não sabem que o sonho
é tela, é cor, é pincel,
base, fuste, capitel,
arco em ogiva, vitral,
pináculo de catedral,
contraponto, sinfonia,
máscara grega, magia,
que é retorta de alquimista,
mapa do mundo distante,
rosa-dos-ventos, Infante,
caravela quinhentista,
que é cabo da Boa Esperança,
ouro, canela, marfim,
florete de espadachim,
bastidor, passo de dança,
Colombina e Arlequim,
passarola voadora,
pára-raios, locomotiva,
barco de proa festiva,
alto-forno, geradora,
cisão do átomo, radar,
ultra-som, televisão,
desembarque em foguetão
na superfície lunar.


Eles não sabem, nem sonham,
que o sonho comanda a vida,
que sempre que um homem sonha
o mundo pula e avança
como bola colorida
entre as mãos de uma criança.»

Poema de António Gedeão




"O futuro pertence àqueles que acreditam na beleza de seus sonhos." (Elleanor Roosevelt)


8 comentários:


  1. Um dos poemas mais lindos da nossa Literatura!

    Beijo

    Laura

    ResponderEliminar
  2. Lindo e profundo esse poema! Ótimo dia! beijos,tudo de bom,chica

    ResponderEliminar
  3. Olá, Maria!
    Há um bom tempo, não venho aqui e aproveitei, então, para folhear algumas páginas anteriores, onde me encantei com belas postagens. Agora, aqui me deleito com esse lindíssimo poema. Obrigada!
    Beijos,
    da Lúcia

    ResponderEliminar
  4. Oi Maria que que poema lindo, muito bem escolhido um presente para nós os teu leitores, obrigada querida. quero agradecer a visita e o teu lindo comentário. Um abraço fratern. Celina

    ResponderEliminar


  5. O sonho, é como o pensamento. A única diferença é que o sonho tem asas que ninguém pode cortar.

    É um poema enorme!

    Beijinho

    ResponderEliminar
  6. BELO!
    É uma referência cá em casa tantopara mim como para o meu cara metade.

    Obrigada querida por este momento.

    beijinho e uma flor

    ResponderEliminar
  7. Oi Maria!
    Que lirismo!
    Linda poesia
    Beijos
    Lua Singular

    ResponderEliminar
  8. Que poema lindo Maria! Obrigada pela partilha.
    Um final de semana com muita paz a você.

    ResponderEliminar

“Aqueles que passam por nós, não vão sós, não nos deixam sós. Deixam um pouco de si, levam um pouco de nós” (Antoine de Saint-Exupery).

Obrigado pela sua visita e pelo carinho que demonstrou, ao dispensar um pouco do seu tempo, deixando aqui no meu humilde cantinho, um pouco de si através da sua mensagem.