domingo, 28 de julho de 2013

Como uma flor vermelha - Poema de Sophia de Mello Breyner Andresen





À sua passagem a noite é vermelha,
E a vida que temos parece
Exausta, inútil, alheia.


Ninguém sabe onde vai nem donde vem,
Mas o eco dos seus passos
Enche o ar de caminhos e de espaços
E acorda as ruas mortas.


Então o mistério das coisas estremece
E o desconhecido cresce
Como uma flor vermelha.


Sophia de Mello Breyner Andresen



5 comentários:

  1. Lindo o poema da nossa querida Sophia!! Sempre adorei essa grande escritora!! Maravilhoso domingo para ti!! http://pontodecruzdamafalda.blogspot.pt

    ResponderEliminar
  2. Linda poesia e flor! beijos, de volta,chica

    ResponderEliminar
  3. Amiga Maria

    Há poesia e poesia. Façamos uma vénia à tua opção por um poema de Sofia de Mello Breyner. Pensadora de respeito.
    Beijos

    ResponderEliminar
  4. Não recordava este poema... mas é uma maravilha!
    Bela escolha.
    Beijo.

    ResponderEliminar

“Aqueles que passam por nós, não vão sós, não nos deixam sós. Deixam um pouco de si, levam um pouco de nós” (Antoine de Saint-Exupery).

Obrigado pela sua visita e pelo carinho que demonstrou, ao dispensar um pouco do seu tempo, deixando aqui no meu humilde cantinho, um pouco de si através da sua mensagem.