sexta-feira, 5 de fevereiro de 2021

Saudades - Poema de Humberto Campos





Dominando a planície, a fronde aberta
Ao Sol, beijada pela ventania,
De áureas flores e pássaros coberta,
Farfalhando, aquela árvore se erguia.

Quando o Sol, pelo azul, a chama experta,
Como um jade crisântemo - se abria,
Cantava logo um rumor d'asa, e, alerta,
Logo o bando de pássaros a enchia.

Era toda rumor. Suaves, bailando
Em torno, havia, namoradas dela,
Borboletas intrépidas, em bando.

E, do chão, como fúlgidas centelhas,
Insetos de ouro vinham ver aquela
Doce amiga de pássaros e abelhas.


Humberto de Campos
In “Poesias Completas”




14 comentários:

  1. Um sentimento tão português que a pandemia só veio acentuar.
    Bjs, bfds

    ResponderEliminar
  2. Maria, what a poem! It's full of sun and warmth.
    Thanks for sharing.

    ResponderEliminar
  3. Não conhecia este belo soneto do Humberto de Campos.
    Uma belíssima escolha.
    Bom fim de semana, querida amiga Maria.
    Beijo.

    ResponderEliminar
  4. Saudades lindas num belo poema! Versos profundos e significativos demais.
    Grande abraço e boas torcidas para que logo estejamos mais livres desta pandemia...

    ResponderEliminar
  5. Olá Maria,
    Espero que continue tudo bem por aí.
    Belíssimo poema!!! Obrigada pela partilha.
    Votos de um fim-de-semana feliz e com saúde.
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  6. Olá amiga Maria!
    Belo poema aqui nos deixa! Lirismo em todo o seu esplendor! Parabéns ao autor!
    Votos de um excelente fim de semana!
    Beijinhos!

    ResponderEliminar
  7. woun mas que foto linda saudades penso que temos todos nos adorei bjs saude

    ResponderEliminar
  8. Um poema muito bonito. Obrigada pela partilha! :)
    -
    Já anseio por uma nova Primavera
    -
    Beijo e um excelente fim de semana! :)

    ResponderEliminar
  9. Hermoso post María, me encanta el poema. Feliz fin de semana. Besinos.

    ResponderEliminar
  10. Un bello poema que en estos tiempos nos trae unos rayos de sol.

    Saludos.

    ResponderEliminar
  11. Um poema que exprime com beleza os sentires do poeta
    E que belo é esse versar!!!!
    Beijinhos querida Maria

    ResponderEliminar

“Aqueles que passam por nós, não vão sós, não nos deixam sós. Deixam um pouco de si, levam um pouco de nós” (Antoine de Saint-Exupery).

Obrigado pela sua visita e pelo carinho que demonstrou, ao dispensar um pouco do seu tempo, deixando aqui no meu humilde cantinho, um pouco de si através da sua mensagem.

Topo