quinta-feira, 13 de setembro de 2018

Desce a névoa da montanha




Desce a névoa da montanha,
Desce ou nasce ou não sei quê...
Minha alma é a tudo estranha,
Quando vê, vê que não vê.
Mais vale a névoa que a vida...
Desce, ou sobe: enfim, existe.
E eu não sei em que consiste
Ter a emoção por vivida,
E, sem querer, estou triste. 


Fernando Pessoa



18 comentários:

  1. Incrível onde este homem ia buscar inspiração para escrever sobre TUDO!!
    Bjs, bfds

    ResponderEliminar
  2. There is something fascinating in the fog.
    Take care Maria <3

    ResponderEliminar
  3. Este poema condiz com o amanhecer aqui na aldeia! Gostei de ler... bj

    ResponderEliminar
  4. Lindo! Gosto tanto de Fernando Pessoa, um génio da nossa literatura.
    Bjs

    ResponderEliminar
  5. Um poema Sublime :))

    Hoje » Amplexos de amor

    Bjos
    Votos de uma óptima Sexta-Feira

    ResponderEliminar
  6. Hello dear Maria!
    A gorgeous poem and an amazing photo!
    Wishing you a lovely day and a happy weekend!Hugs!
    Dimi...

    ResponderEliminar
  7. olá Maria, tudo bom com você?
    Fernando Pessoa é eterno !
    sempre tanta beleza !
    grande abraço .
    :o)

    ResponderEliminar
  8. Um poema lindo que sem querer trouxe tristeza.
    Um beijo.
    Élys.

    ResponderEliminar
  9. Muito lindo!
    Essa flor amarela é muito bonita, aqui nunca vi!
    Um bom fim de semana!

    ResponderEliminar
  10. Ao ver a luz da alvorada faz a gente saudoso
    bjs

    ResponderEliminar
  11. Magnífica escolha poética.
    E a foto é perfeita para o poema.
    Maria, um bom fim de semana.
    Beijo.

    ResponderEliminar

“Aqueles que passam por nós, não vão sós, não nos deixam sós. Deixam um pouco de si, levam um pouco de nós” (Antoine de Saint-Exupery).

Obrigado pela sua visita e pelo carinho que demonstrou, ao dispensar um pouco do seu tempo, deixando aqui no meu humilde cantinho, um pouco de si através da sua mensagem.