sexta-feira, 23 de setembro de 2016

Motivo - Poema de Cecilia Meireles





Eu canto porque o instante existe
e a minha vida está completa.
Não sou alegre nem sou triste:
sou poeta.

Irmão das coisas fugidias,
não sinto gozo nem tormento.
Atravesso noites e dias
no vento.

Se desmorono ou se edifico,
se permaneço ou me desfaço,
- não sei, não sei. Não sei se fico
ou passo.

Sei que canto. E a canção é tudo.
Tem sangue eterno a asa ritmada.
E um dia sei que estarei mudo:
- mais nada.


Cecília Meireles, em "Viagem"



3 comentários:

  1. Querida Maria Lindo este poema,como sempre ótima escolha a sua.
    beijinhos e bom final de semana.
    Léah

    ResponderEliminar
  2. Maravilhoso poema ,desejo-lhe uma noite muito feliz beijinhos

    ResponderEliminar
  3. Maria Rodrigues,eu tenho esse livro "Viagem" e amo todas as poesias de Cecília Meireles.
    Essa é fantástica.
    Bjs-Carmen Lúcia.

    ResponderEliminar

“Aqueles que passam por nós, não vão sós, não nos deixam sós. Deixam um pouco de si, levam um pouco de nós” (Antoine de Saint-Exupery).

Obrigado pela sua visita e pelo carinho que demonstrou, ao dispensar um pouco do seu tempo, deixando aqui no meu humilde cantinho, um pouco de si através da sua mensagem.