domingo, 13 de janeiro de 2013

Pintor Jesus Helguera (1910-1971)




O pintor e ilustrador Jesus Enrique Espinoza Emilio de la Helguera, nasceu em 28 de maio de 1910, em Chihuahua, México.




Filho de Alvaro García de la Helguera, um imigrante espanhol e Espinoza Maria Escarzaga, passou a sua infância na Cidade do México e mais tarde em Veracruz.




Aos sete anos, o jovem Helguera deixa o México com a sua família devido à tumultuosa Revolução Mexicana, estabelecendo-se em Espanha.




Um artista talentoso, Jesus foi incentivado pelo seu professor de escola primária a ter aulas de arte.




Começou aos nove anos a aprender como pintar paisagens e mapas.




Gostava do ar livre, natureza e vida selvagem. Era um estudante aplicado e levava muito a serio a aprendizagem da arte de pintar.





Dedicava parte do seu tempo a visitar galerias e museus de arte de arte em Espanha. Aos 12 anos de idade, frequentou a Escola de Artes e Oficios.




Com 14 anos foi admitido na Escola Superior de Bellas Artes e mais tarde frequentou a Academia de San Fernando, tendo tido como professores Marcelino Santamaria, Benedito Manuel Romero e Julio Torres, entre muitos outros.




Desenhista e pintor, com apenas 18 anos tornou-se professor ensinando arte em Bilbao, dedicando-se também a fazer ilustrações em livros e revistas.





O seu modelo favorito e inspiração para muitas das suas pinturas históricas era a sua esposa Julia Gonzalez Llanos, natural de Madrid, de quem teve dois filhos.






Foi pintada vestindo tradicionais trajes rurais mexicanos com xaile, vestidos populares de cores vibrantes, em situações vulneráveis ou como mulher sensual, como indígena ou ainda como deusas asteca.





Com a eclosão da Guerra Civil Espanhola, Helguera, optou por voltar ao México com a sua família.





Retornou para Veracruz local onde tinha vivido quando era menino. Gostava da diversidade da paisagem com rios, lagos e montanhas.




Após a sua chegada ao México, foi contratado pela empresa Cigarrera la Moderna, uma empresa de tabaco, para produzir os seus calendários, impressos pela editorial Imprenta Galas do México, empresa que ainda mantém na sua posse várias pinturas originais.




Passou algum tempo lendo e aprendendo sobre a história mexicana. Tinha um fascínio muito especial pela mitologia asteca. A sua pintura mais reconhecida é a "A Lenda dos Vulcões" (1940).




Esta imagem foi reimpressa em calendários que foram distribuídos em grandes quantidades por todo o México. Jesus desenvolveu outras imagens semelhantes para calendários como o "Arqueiro Celestial" e "Grandeza Aztec".
 



Jesus Helguera pintou e ilustrou para diversos clientes, até ao seu falecimento em 05 de dezembro de 1971.





Em 1980 com a exposição do seu trabalho no Museo de Bellas Artes, que foi aberta pelo presidente do México, foi finalmente dado a Helguera o seu devido valor, passando a ser considerado como um dos mais importantes pintores mexicanos.

Fontes e Fotos: Wikipedia; http://www.tumblr.com/; http://www.sullivangoss.com/jesus_Helguera/; http://q-vomagazine.com/jesushelguera.html; http://doinab.blogspot.com.br/2012/01/jesus-helguera-1910-1971-pictor-spaniol.html; outros



"A arte vence a monotonia das coisas assim como a esperança vence a monotonia dos dias." (Gilbert Keith Chesterton)

4 comentários:

  1. Parabéns pelo aniversário do blogue mas também por este post sobre a arte.- Jesus Helguera.

    Não é artista quem quer mas apenas aqueles que nascem com esses dons e que os sabem trabalhar e aperfeiçoar.

    Muitos outros artistas trabalham longe dos palcos da fama e as suas obras nunca são referenciadas. Outros ainda nunca aprendem nem teimam em aperfeiçoar os talentos interiores - a arte de saber ler, escrever, pintar ou mesmo a arte da música.

    ResponderEliminar
  2. Bom dia Maria, adoro pintura e não conhecia Jesus Helguera. A sua obra é impressionante pela beleza e naturalidade com que deixa o seu traço e cor, oferecendo-nos autênticos retratos! Muito obrigada pela sua visita à minha rota. Foi o primeiro blogue que criei e pelo qual continuo a ter um grande carinho. Temos algumas coisas em comum e não me querendo tornar maçadora um dias destes vou escrever-lhe:))! Beijinhos e tenha um domingo alegre e bem descansado. Ailime

    ResponderEliminar
  3. Obrigada amiga,pela visitinha e comentário.Sabes que postei esse pintor já há algum tempo e gosto muito dessa pintura,é linda,parabéns amiga.
    Uma boa semana com um beijinho.
    Miuíka

    ResponderEliminar
  4. Maria, querida amiga
    Não podemos perder a esperança na Humanidade, embora, infelizmente, não haja muitos motivos para a manter acesa.
    O exemplo de Artagan deveria ser seguido por todos, mas...como diz o Luis: "os homens fabricam ódio e bombas".
    Obrigada por ter vindo.
    Beijinhos

    PS - Amanhã há novo post na «CASA»

    Sobre o seu post devo dizer que conheço o pintor pois recebi um PPS com as suas pinturas. Acho-as lindíssimas, e duma tal perfeição que chegam a parecer fotos e não obra de um pincel.
    Foi uma escolha muito acertada.

    ResponderEliminar

“Aqueles que passam por nós, não vão sós, não nos deixam sós. Deixam um pouco de si, levam um pouco de nós” (Antoine de Saint-Exupery).

Obrigado pela sua visita e pelo carinho que demonstrou, ao dispensar um pouco do seu tempo, deixando aqui no meu humilde cantinho, um pouco de si através da sua mensagem.