domingo, 2 de agosto de 2015

Angélicas




As angélicas são flores elegantes e perfumadas, representado a pureza.


Foto: wikipedia_Author_Conoce3000

Foto: imgkid.com


São originárias da América do Norte e México. Pertencem à família Agavaceae, o seu nome científico é Polianthes tuberosa, sendo conhecida também por: Angélica-de-bastão, Angélica-dos-jardins, Jacinto-da-índia, Tuberosa.


Foto: www.hdwallpapersinn.com


Tem um ciclo de vida perene e a sua altura varia entre 0.4 e 0.6 metros. As suas inflorescências são do tipo espigas em hastes erectas e altas e compostas de muitas flores pequenas, de cor branca ou rosa suave, simples ou dobradas.


Foto: www.pinterest.com


Pode ser utilizada em canteiros, maciços, vasos e bordaduras. Devido ao seu suave aroma ela fica perfeita junto a caminhos, varandas, janelas e portas.


Foto: flowers-kid.com


Solo e regas: os solos devem ser férteis, bem drenáveis e ricos em matéria orgânica. As regas devem ser regulares.

Luz e Temperatura: Devem ser cultivadas a pleno sol.

Belas e de perfume suave, elas representam a pureza sendo muito utilizadas em bouquês de noivas e na decoração de cerimónias religiosas ,especialmente na Índia. Das suas raízes é extraído um óleo usado para fazer perfumes, incenso e medicamentos.


Foto: www.imgkid.com

Foto: www.mundodeflores.com


Fontes e Fotos: Wikipedia; http://www.mundodeflores.com/; http://www.loja.jardicentro.pt/; http://www.floresnaweb.com/; http://www.jardineiro.net; http://www.plantasonya.com.br/; imgkid.com; wallpaperscraft.com; http://wallpapers9.org; www.1zoom.net; outros net.

sábado, 1 de agosto de 2015

Alpes Românticos - Castelo de Neuschwanstein - Alemanha




Do circuito aos Alpes Românticos já falei de Munique e de Neues Rathau. Continuando a mostrar a minha viagem ...





hoje fica a nossa visita ao Castelo de Neuschwanstein.




Antes de chegarmos ao destino final, fez-se uma breve paragem para começarmos a visualizar a imponência e beleza de Neuschwanstein, no cimo de uma montanha. É claro que o pessoal aproveitou para tirar fotos do local ....





Parámos em Fussen e subimos de mini bus até ao castelo.








Do local onde estávamos à espera do mini bus podíamos ver um outro castelo, o Schloss Hohenschwangau (Castelo do Grande Condado do Cisne),  foi a residência de infância do Rei Luís II da Baviera, tendo sido construído pelo seu pai, o Rei Maximiliano II da Baviera.





Apanhámos o mini bus e subimos até ao Castelo de Neuschwanstein. O Castelo foi construído na segunda metade do século XIX por Luís II da Baviera, inspirado na obra de seu amigo e protegido, o grande compositor Richard Wagner. 




O nome Neuschwanstein é uma referência ao "cavaleiro do Cisne", Lohengrin, da ópera com o mesmo nome. A arquitectura do castelo parece saída de um conto de fadas, com um estilo fantástico, que terá servido de inspiração a Walt Disney para o "Castelo da Cinderela".






A fachada exterior da entrada






Entrando neste castelo encantado ...






Pátio superior







Neuschwanstein começou a ser construído em 1869 e era o refúgio, era o castelo encantado do Rei Ludwig II, que ficou conhecido como o rei louco da Baviera. Ludwig II morreu em 1886, antes do castelo estar totalmente concluído, tendo aparecido afogado num lago nas proximidades do castelo e em circunstâncias não totalmente explicadas. Um dos temas centrais para a decoração do castelo foi o conto medieval germânico “Cavaleiro do Cisne”, que serviu de base para a ópera Lohengrin, composta por Wagner.





Do pátio podemos ver a Marienbrücke (Ponte de Maria) sobre o desfiladeiro Pöllat, assim chamada em homenagem a Maria da Prússia.




Não são permitidas fotografias no interior pelo que comprei postais para poder mostrar quanta beleza este castelo encerra.




O castelo compreende uma portaria, a Casa dos Cavaleiros com uma torre quadrada e um Palas, ou cidadela, com duas torres no extremo oeste. O conjunto de salas no interior do Palácio contém a Sala do Trono seguida pela suite de Luís II, o Hall dos Cantores e pela Gruta. Por todo o lado, o desenho presta homenagem às lendas alemãs de Lohengrin, o Cavaleiro Cisne. O Castelo de Hohenschwangau, onde Luís II passou grande parte da sua juventude, tinha decorações destas sagas. Estes temas foram tomados nas óperas de Richard Wagner. No entanto, muitas das salas interiores permanecem sem decoração; apenas catorze delas foram finalizadas antes da morte de Luís II.




Entre as salas concluídas encontra-se a Sala do Trono, a qual apresenta um candeeiro com pedras preciosas incrustadas, todos os doze apóstolos pintados na parede que rodeia o pedestal do trono (o trono actual nunca foi acabado) e Jesus por trás do pedestal. 




A suite principal do Rei inclui uma cama de dossel em madeira entalhada manualmente, o baldaquino da cama é entalhado como as torres de cada uma das catedrais da Baviera, um sanitário secreto (a água da sanita provinha de um aqueduto) e uma bacia com água corrente em forma de cisne.




O castelo também inclui um oratório, acessível a partir do vestiário e da suite principal, o qual inclui um crucifixo de marfim; uma sala feita para parecer uma caverna, uma cozinha completa equipada com água corrente quente e fria e um armário aquecido, alojamentos para os criados, um gabinete, uma sala de jantar e o Hall dos Cantores. Esta última divisão era um lugar onde os músicos e os dramaturgos actuavam. O Rei construiu-o para Wagner, como um lugar privilegiado para apresentação de peças. O Rei morreu antes de ser possível assistir a apresentações no Hall dos Cantores, mas este tem sido usado desde a sua morte. 




Apesar do seu aspecto medieval, a construção do Castelo de Neuschwanstein requereu a moderna tecnologia da época, sendo o castelo uma maravilha dos acabamentos da tecnologia estrutural.




A visita termina na sala dos cantores, a partir daí já é permitido tirar fotos. 




No percurso para a saída passámos pela cozinha.






Parámos um pouco para beber um café na cafetaria deste esplendoroso castelo.




e antes de sair ainda fomos apreciar a vista de um dos balcões junto à cafetaria.





Após terminada a visita ao castelo seguimos para a  ponte Marienbrücke, afim de o  podermos apreciar de outro ângulo.







A "moda" dos cadeados também já aqui chegou....







Eram horas de regressar a Fussen para almoçar e depois seguir viagem.








A nossa próxima paragem seria em: Innsbruck

Texto explicativo: Wikipedia
Fotos: Pessoais