quinta-feira, 18 de maio de 2017

Para atravessar contigo o deserto do Mundo





Para atravessar contigo o deserto do mundo
Para enfrentarmos juntos o terror da morte
Para ver a verdade para perder o medo
Ao lado dos teus passos caminhei

Por ti deixei meu reino meu segredo
Minha rápida noite meu silêncio
Minha pérola redonda e seu oriente
Meu espelho minha vida minha imagem
E abandonei os jardins do paraíso

Cá fora à luz sem véu do dia duro
Sem os espelhos vi que estava nua
E ao descampado se chamava tempo

Por isso com teus gestos me vestiste
E aprendi a viver em pleno vento


Sophia de Mello Breyner Andresen, in 'Livro Sexto'



16 comentários:

  1. Pelo amor deixamos, negamos, nossa vontade...
    Lindo!!!

    Bjssss

    Mila Lopes

    ResponderEliminar
  2. Y que mo hariamos por amor, Maria?
    Un abrazo.

    ResponderEliminar
  3. Fabuloso poema! Obrigada pela partilha


    Beijinhos

    ResponderEliminar
  4. Maravilhoso querida amiga, desejo-lhe uma quinta-feira muito feliz beijinhos felicidades

    ResponderEliminar
  5. uma capitulação total por amor
    abraço

    ResponderEliminar
  6. Olá...

    Que lindo poema. Amor assim, recíproco é o que todos nós merecemos.
    Imagem perfeita.

    Sorria sempre.

    ResponderEliminar
  7. Bom dia, Maria!
    "Aprendi a viver em pleno vento!".
    Abração esmagador.

    ResponderEliminar
  8. Caminhando juntinhos,
    não se perdem no deserto
    onde não se vêem passarinhos
    voando, nem longe nem porto!

    Tenha uma boa tarde amiga Maria, um abraço,
    Eduardo

    ResponderEliminar
  9. Por isso com teus gestos me vestiste
    E aprendi a viver em pleno vento,

    Lindo demais esse caminho pelo deserto.
    Muito lindo.
    beijos

    ResponderEliminar
  10. NO amor a cumplicidade sempre nos transmite encantamento. Te convidando para estar conosco na www.hellowebradio.com ... vontade de te receber e, se possível, merecer seu envio em forma de recado.
    Cadinho RoCo

    ResponderEliminar
  11. Olá, Maria!

    Como vai?

    Informo-a que a Leninha, foi, hoje, de manhã, submetida a uma cirurgia delicada e não programada.
    Peço o seu olhar para ela.

    Mto obrigada! Abraços.

    ResponderEliminar
  12. Linda imagem, o poema é maravilhoso.
    Bjs

    ResponderEliminar
  13. Oi Maria
    Adorei a poesia
    Ela é espetacular
    Beijos
    Lua Singular

    ResponderEliminar
  14. Atravessar, contigo, o deserto
    Tornar-se-ia um oásis, Maria.
    Porque a solidão tornar-se-ia
    Em multidões de gente a céu aberto.

    Para fazer o sol quente encoberto,
    Em minha mente anoiteceria
    Para trazer a luz da estrela guia
    A colocar-me no caminho certo.

    E eu me acordaria desse sonho
    Sonhado apenas como a mim proponho
    Às elucubrações da poesia

    Que busco arremedar, a ser risonho
    O tempo de lazer que eu disponho
    A enternecer a minha fantasia.

    Bela postagem, Maria! Bom fim de semana junto aos teus. Recebi da Céu também notícia da Leninha e estou mentalizando e rezando por sua saúde. Grande abraço. Laerte.

    ResponderEliminar

“Aqueles que passam por nós, não vão sós, não nos deixam sós. Deixam um pouco de si, levam um pouco de nós” (Antoine de Saint-Exupery).

Obrigado pela sua visita e pelo carinho que demonstrou, ao dispensar um pouco do seu tempo, deixando aqui no meu humilde cantinho, um pouco de si através da sua mensagem.