domingo, 14 de maio de 2017

Olhando o Mar - Poema de Gilka Machado




Sempre que fito o mar
tenho a ilusão de achar-me diante
de um silêncio amplo, ondulante,
de um silêncio profundo,
onde vozes lutassem por gritar,
por lhe fugirem do invisível fundo.

Diante do mar eu fico triste,
nessa mudez de quem assiste
reproduções do próprio dissabor;
diante do mar eu sou um mar,
a outro de apor
e a se indeterminar.

O mar é sempre monotonia,
na calmaria
ou na tempestade.
Fujo de ti, ó mar que estrondas!
porque a tristeza que me invade
tem a continuidade
das tuas ondas...

Mas te amo, ó mar, porque minha alma e a tua
são bem iguais: ambas profundamente
sensíveis, e amplas, e espelhantes;
nelas o ambiente
atua
apenas superficialmente...

Calma de cismas, de êxtases, de sonhos,
desesperos medonhos,
ânsias de azul, de alturas...
- Longos ou rápidos instantes
em que me transfiguro, em que te transfiguras...
Nos nossos sentimentos sem represa,
nas nossas almas, quanta afinidade!
- Tu sentindo por toda a natureza!
- Eu sentindo por toda a humanidade!

Nos dias muito azuis, o meu olhar,
atento,
a descer e a se elevar,
supõe o mar um espreguiçamento
do céu e o céu um êxtase do mar.

Há nos ritmos da água
marinha uma poesia, a mais completa,
essa poesia universal da mágoa.

O mar é um cérebro em laboração,
um cérebro de poeta;
nas suas ondas, vêm e vão
pensamentos, de roldão.

O mar,
imperturbavelmente, a rolar, a rolar...
O mar... - Concluo sempre que metido
em sua profundeza e em sua vastidão:
- o mar é o corpo, é a objetivação
do espaço, do infinito.

Gilka Machado


11 comentários:

  1. O mar e Portugal
    O meu coração pode amar pelos dois
    um abraço

    ResponderEliminar
  2. Bom dia
    Maravilhoso poema!! Amei


    Beijo e bom Domingo.

    ResponderEliminar
  3. E eu sinto-me aquele barco, mas sem leme... o pior é que navego sempre no meio da tempestade.

    ResponderEliminar
  4. Belíssima partilha querida amiga, desejo-lhe um domingo muito feliz beijinhos no coração felicidades

    ResponderEliminar
  5. Bom dia Maria.
    Um lindo poema, bela partilha, desejo um lindo domingo para você. Grande abraço

    ResponderEliminar
  6. Não conhecia mas já fiz a minha leitura poética!!! Bj

    ResponderEliminar
  7. Vim aqui, sem ter saído do lugar,
    de onde estou sentado numa cadeira
    porque é verdade, sem olhar o mar
    não vejo as ondas beijarem a areia!

    Tenha uma boa noite de domingo para segunda-feira amiga Maria, um abraço,
    Eduardo.

    ResponderEliminar
  8. Lindo Maria!

    Uma boa semana e um beijinho.

    ResponderEliminar
  9. Oi, Maria!

    Adorei!... O mar e seus encantamentos, a poesia nas ondas que nos levam a naufragar!

    Beijos! =)

    ResponderEliminar
  10. Olá amiga Maria!
    Sempre com os seus encantos,
    para além das maravilhosas paisagens
    Também com poesias brilhantes.
    Você Maria é uma pessoa especial
    apesar de andar afastada
    já sinto a sua falta
    de visitar o seu blog e as belas
    paisagens postar!
    Beijinhos Maria...adoro cada lugar lindo
    por onde passa a fotografar.

    ResponderEliminar
  11. Olá amiga Maria!
    Sempre com os seus encantos,
    para além das maravilhosas paisagens
    Também com poesias brilhantes.
    Você Maria é uma pessoa especial
    apesar de andar afastada
    já sinto a sua falta
    de visitar o seu blog e as belas
    paisagens postar!
    Beijinhos Maria...adoro cada lugar lindo
    por onde passa a fotografar.

    ResponderEliminar

“Aqueles que passam por nós, não vão sós, não nos deixam sós. Deixam um pouco de si, levam um pouco de nós” (Antoine de Saint-Exupery).

Obrigado pela sua visita e pelo carinho que demonstrou, ao dispensar um pouco do seu tempo, deixando aqui no meu humilde cantinho, um pouco de si através da sua mensagem.