quinta-feira, 13 de abril de 2017

A Porta - Poema de Vinícius Moraes





Eu sou feita de madeira
Madeira, matéria morta
Mas não há coisa no mundo
Mais viva do que uma porta.

Eu abro devagarinho
Pra passar o menininho
Eu abro bem com cuidado
Pra passar o namorado
Eu abro bem prazenteira
Pra passar a cozinheira
Eu abro de supetão
Pra passar o capitão.

Só não abro pra essa gente
Que diz (a mim bem me importa...)
Que se uma pessoa é burra
É burra como uma porta.

Eu sou muito inteligente!

Eu fecho a frente da casa
Fecho a frente do quartel
Fecho tudo nesse mundo
Só vivo aberta no céu!


Vinícius Moraes


9 comentários:

  1. Parabéns pela escolha de imagens. Este poema é fenomenal!
    Beijinhos.

    ResponderEliminar
  2. Maravilhoso querida amiga, desejo-lhe uma quinta-feira santa muito abençoada beijinhos muitas felicidades

    ResponderEliminar
  3. Vinicius de Morais o nosso sempre amado com poemas encantadores.
    Bjs Maria Rodrigues e uma Feliz Páscoa.
    Carmen Lúcia.

    ResponderEliminar
  4. Uma maravilhosa Páscoa para você!!

    bjokas =)

    ResponderEliminar
  5. Vinicius, um grnde poeta e esta poesia é de muita criatividade.
    Tenha uma doce páscoa com todan a sua família.
    Élys.

    ResponderEliminar
  6. Um poema extraordinário sobre este tema... e que não conhecia!
    Mais uma óptima escolha!
    E porque na altura da Páscoa, não tive oportunidade de passar por aqui... espero contudo que a mesma tenha sido celebrada entre todos, aí desse lado, de uma forma muito feliz...
    Beijinhos
    Ana

    ResponderEliminar

“Aqueles que passam por nós, não vão sós, não nos deixam sós. Deixam um pouco de si, levam um pouco de nós” (Antoine de Saint-Exupery).

Obrigado pela sua visita e pelo carinho que demonstrou, ao dispensar um pouco do seu tempo, deixando aqui no meu humilde cantinho, um pouco de si através da sua mensagem.