domingo, 26 de março de 2017

Soneto do Silêncio





Fantástico silêncio! Nele existe
um clarão momentâneo: e tudo dorme.
Ai! que a noite irreal, cega e disforme,
ainda o faz mais pungente e amargo e triste!

Fantástico silêncio moribundo
aos meus olhos aceso como velas
que iluminassem becos e vielas
pelas cidades pálidas do mundo...

Lá o vejo pender, fruto caído,
lá o vejo soprar contra muralhas
e recobrir — silêncio envelhecido —

o que a noite ocultou, e está perdido...
Lá o vejo oscilar nas cordoalhas
de algum veleiro desaparecido.



Alphonsus de Guimarães Filho


21 comentários:

  1. Boa noite querida Maria Rodrigues.
    Que poema belo, o silencio ao mar é ainda mais intenso. Um lindo domingo. Enorme abraço.

    ResponderEliminar
  2. Áh que bonito!! Muito obrigada pela partilha! Amei

    Beijo
    Bom Domingo

    ResponderEliminar
  3. Mítico e solitário, o soneto.
    Mto belo.
    Boa partilha, MR.
    Bom domingo, com um bj.

    ResponderEliminar
  4. Fantástica partilha querida ,desejo-lhe um abençoado domingo ,muitos beijinhos no coração.

    ResponderEliminar
  5. UN poema precioso es que has escogido esta vez, María. Gracias!
    Un beso y que tengas un gran domingo :)

    ResponderEliminar
  6. Fantástico silêncio!
    Silencioso como o meu abraço.

    ResponderEliminar
  7. Mais um poema, deste autor que só li que só conheço por aqui nos blogues.
    Um abraço e bom domingo

    ResponderEliminar
  8. Gostei muito deste soneto e penso que nunca li nada deste poeta, vou pesquisar ...em silêncio :)

    Um beijinho Maria

    O Toque do coração

    ResponderEliminar
  9. não conhecia este autor
    uma boa partilha, o soneto é muito belo.
    bom domingo
    :)

    ResponderEliminar
  10. O silêncio revela-nos tanta coisa!

    r: Muito obrigada :) é, de facto, linda.
    Bom domingo, beijinhos*

    ResponderEliminar
  11. Olá Maria,
    Uma bela partilha!
    O soneto é intenso e maravilhoso.
    Ótimo domingo!
    Beijo.😘

    ResponderEliminar
  12. O ruído do silêncio

    Mas o silêncio não é somente platitude
    Dalgumas pessoas que dizer, nada tem
    A mais das vezes o silêncio nos ilude
    Como não despertasse interesse a ninguém.

    Já, palavras repletas de significado
    De modo geral não nos dizem quase nada
    Soam grandiosas, fortes como um tornado
    Contudo, pelo silêncio são apagadas.

    Dizem, que noite sempre é boa conselheira
    Porquanto apaga agruras do perverso dia
    Entretanto se fizermos muita besteira
    Apagar nossos deslizes tão bom seria.

    Mas, assim será se toda gente então queira
    Resultando num futuro só de alegria.

    ResponderEliminar
  13. Gostei imenso. Os silêncios, os diversos
    silêncios que sempre acabam por nos envolver.
    Parabéns ao autor.Obrigada pela partilha.
    Desejo que se encontre bem.
    Bjs.
    Irene Alves

    ResponderEliminar
  14. Bela escolha fizeste ao postar o magistral soneto.
    Desejo boa semana amiga!
    Bjs no core!

    ResponderEliminar
  15. Oi Maria, bn!
    Eu não conheço o autor, mas achei o poema lindo. Mais uma bela escolha amiga. Parabéns!
    Bjssss

    ResponderEliminar
  16. Perfeitíssimo soneto em forma, conteúdo e tudo o mais. É por sonetos como esse que me faz ficar vermelho de vergonha pelas besteiras que escrevo tentando dizer algo que arremede à poesia. Não adianta... Como diz a minha mulher: academia de ginásticas, frequentam os que não adianta e os que não precisam, isto porque há anos lá estou e a barriga, segundo ela, continua do mesmo diâmetro. Assim é a composição poética - quem tem alma de poeta, como Fernando Pessoa e outros, tudo que escreviam tinha poesia... Mas não desisto, quero dar algo de mim um pouquinho mais doce que a dureza do cotidiano do mundo atual que anda tão árido. Grande abraço e obrigado pela visita lá. Cordialmente. Laerte.

    ResponderEliminar
  17. Uma bonita escolha:)

    Beijinhos e uma boa semana:)

    ResponderEliminar
  18. Belíssimo poema!

    O silêncio que tudo grita!

    Beijos =)

    ResponderEliminar
  19. Obrigada MARIA
    pela visita ao meu blogue
    e os comentários que deixou.

    Peço desculpas pela minha ausência, mas...
    na realidade não estou bem
    não tenho disposição nem para o meu blog
    nem para visitar os dos amigos

    Espero que esta fase passe rápido.

    LINDÍSSIMO O SONETO
    eu adoro o silêncio!

    Desejo-lhe uma boa semana.
    Beijinho da Tulipa

    ResponderEliminar

“Aqueles que passam por nós, não vão sós, não nos deixam sós. Deixam um pouco de si, levam um pouco de nós” (Antoine de Saint-Exupery).

Obrigado pela sua visita e pelo carinho que demonstrou, ao dispensar um pouco do seu tempo, deixando aqui no meu humilde cantinho, um pouco de si através da sua mensagem.