quinta-feira, 23 de março de 2017

Sol de Março





Embriagada de ardor matinal,
tonteia uma borboleta amarela.
Encolhido e com sono, um homem velho
descansa sentado junto à janela.
Entre as folhas da primavera, um dia
de viagem cantando partiu ele:
de uma porção de ruas a poeira
passou voando sobre os seus cabelos.
Naturalmente as árvores em flor
e as borboletas voando amarelas
parecem hoje as mesmas de outros tempos:
como se o tempo não tocasse nelas.
Os perfumes e as cores, entretanto,
tornaram-se mais finos e mais raros:
fez-se mais fria a luz, e o próprio ar
parece mais difícil respirar.
Como abelha a zumbir, a primavera
baixinho entoa os seus graciosos cantos:
a borboleta adeja em amarelo,
e o céu vibra em cristal de azul e branco.

Hermann Hesse,In Andares



20 comentários:

  1. Fantástico poema!

    r: Muito obrigada
    Beijinhos*

    ResponderEliminar
  2. Não conhecia o poema. Gostei e da imagem também.
    um beijinho
    Gábi

    ResponderEliminar
  3. Que lindo cenário nessa poesia! bjs, chica, tudo de bom!

    ResponderEliminar
  4. Bom dia querida amiga, felizmente já vejo as suas lindas partilhas ,desejo-lhe uma quinta-feira muito feliz, apesar deste tempo chuvoso beijinhos

    ResponderEliminar
  5. Linda poesia. A Primavera sempre é inspiradora e em todo tempo traz recordações e vivas alegrias...
    Um bj

    ResponderEliminar
  6. Poesia bem delineada aos dias de Março,só que aqui no Brasil eles são tristes,pois é a estação Outono.
    Adorei Maria Rodrigues.
    Bjs-Carmen Lúcia.

    ResponderEliminar
  7. Qta delicadeza nos versos e essa imagem fofa.

    bjokas =)

    ResponderEliminar
  8. Linda poesia emoldurada por uma bela imagem.
    Tenha uma feliz primavera.
    Élys.

    ResponderEliminar
  9. Andares na rua,
    bancos no jardim
    se tudo tivesse fim
    já não havia penúria!

    Tenha uma boa tarde amiga Maria, um abraço,
    Eduardo.

    ResponderEliminar
  10. Lindo poema, quanta sensibilidade e ternura, adorei!
    Beijos

    ResponderEliminar
  11. Ya quisiera yo abrir la ventana de mi casa y contemplar cada dia este paisaje.
    Abrazos, Maria.

    ResponderEliminar
  12. Bello poema, un homenaje a la primavera.
    Hola María, gracias por compartir tus versos.

    Un abrazo.

    Lola Barea.

    ResponderEliminar
  13. O poema é lindo mas a imagem não lhe fica atrás.

    Um beijinho

    O Toque do coração

    ResponderEliminar
  14. Poema e imagem em perfeita sintonia, postagem linda, Maria...parabéns!!! abraços, ania..

    ResponderEliminar
  15. Maria , o poema é belíssimo e a imagem que escolheu como pano de fundo ficou perfeita .
    Agradeço a partilha .
    Beijos

    ResponderEliminar
  16. As imagens que acompanham os poemas são sempre tão belas. Correspondem exatamente aos sentimentos expressos no poema. Excelente. Beijinhos.

    ResponderEliminar
  17. Gostei do poema e da imagem, que passa tranquilidade.

    Beijinhos:)

    ResponderEliminar
  18. Passear por aqui é sentir a delicadeza em vossos dedos!



    Um abraço

    ResponderEliminar

“Aqueles que passam por nós, não vão sós, não nos deixam sós. Deixam um pouco de si, levam um pouco de nós” (Antoine de Saint-Exupery).

Obrigado pela sua visita e pelo carinho que demonstrou, ao dispensar um pouco do seu tempo, deixando aqui no meu humilde cantinho, um pouco de si através da sua mensagem.