terça-feira, 17 de janeiro de 2017

Florista - Poema de Cecília Meireles




Deixai passar pela margem da tarde
a velha florista
que levanta nos braços o fim das flores:
- imenso chapéu de ramos amontoados.

Vede os tristes cravos desfeitos,
e o lábio oscilante da ultima pétala de rosa.
Os lírios quase líquidos,
moles e túmidos,
prolongam densas lágrimas.

Deixai passar com o fim das flores,
com o fim da vida,
a velha florista,
de saia verde, de xale roxo, de meias grossas,
toda coberta de flores murchas,
de espesso pólen, de mortos espinhos
- canteiro deslizante,
a velha florista,
a escorregar para o ocaso,
lenta e sozinha,
sob os alamos amarelos,
ao longo de muros tão antigos,
como depois de uma grande festa,
de um culto de outrora.



Cecília Meireles

16 comentários:

  1. Olá, bom dia, amiga Maria Rodrigues! Estava lendo seus posts, parabéns, viu?
    Tudo muito caprichado e edificante.

    Agradeço imensamente, pelo seu carinho em meu espaço!

    Um beijo em seu coração!

    Nanda

    ResponderEliminar
  2. O quadro lindo acomphado por um poema adorável .
    abraço

    ResponderEliminar
  3. Oi Maria,
    Linda poesia, mas de uma tristeza sem fim
    Está lindo o seu blog e da uma paz imensa
    Beijos no coração
    Lua Singulae

    ResponderEliminar
  4. Gostei. Hoje já não se vêm floristas na rua.
    Poemas de Cecília Meireles, são sempre um chamariz para mim.
    Um abraço

    ResponderEliminar
  5. Desculpe Maria
    Errei o nome do meu blog
    Lua Singular
    Estou com sono, chove aqui e está fresquinho.
    Beijos
    Lua Singular

    ResponderEliminar
  6. Bom dia querida amiga desejo-lhe um dia muito feliz cheio de beleza como o lindo poema da Cecília ,beijinhos muitas felicidades

    ResponderEliminar
  7. Lindíssimo poema de Cecilia Meireles!
    Adorei Maria Rodrigues.
    Bjs e uma ótima semana.
    Carmen Lúcia.

    ResponderEliminar
  8. Boa Tarde, querida Maria!
    Que linda escolha! A Primavera nunca nos abnadona mesmo que seja inverno...
    Bjm muito fraterno e um abençoado 2017!

    ResponderEliminar
  9. Boa tarde, Cecília Meireles no seu melhor, este poema é maravilhoso.
    AG

    ResponderEliminar
  10. Um Post magnífico e preciosamente engrandecido pela imagem.
    Um relato poético que me faz retroceder á minha infância e fazer recordar as Floristas da minha terra, que de lá partiam para o seu "ofício" diário no Mercado do Bolhão (Porto).


    Beijo
    SOL

    ResponderEliminar
  11. Maria
    Ia dizer que FLORISTA é um poema belo, que rescende a sociologia, afinal a poesia de Cecilia Meireles dispensa apresentações.
    Agradeço que veja, leia e comente BRASIL - O SORRISO DE DEUS.
    Brasília – Distrito Federal
    http://amornaguerra.blogspot.pt/
    Bjs

    ResponderEliminar
  12. Soberba escolha!! Amei

    Beijo de boa noite

    http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  13. Maria, as floristas são tão poéticas e belas.
    Obrigado pelo tempo que aqui, ganhei, divagando contigo, minha amiga.
    Deixo um beijinho e um até breve...

    ResponderEliminar
  14. Apaixonada pela Ceci ;-)
    Adorei o diálogo do poema e imagem!...

    Beijos =)

    ResponderEliminar
  15. Maravilhosa Cecília.
    Meio triste, mas divino! bj

    ResponderEliminar

“Aqueles que passam por nós, não vão sós, não nos deixam sós. Deixam um pouco de si, levam um pouco de nós” (Antoine de Saint-Exupery).

Obrigado pela sua visita e pelo carinho que demonstrou, ao dispensar um pouco do seu tempo, deixando aqui no meu humilde cantinho, um pouco de si através da sua mensagem.