quinta-feira, 30 de junho de 2016

Um Cafézinho em BELÉM




Um destes sabádos de manhã eu e o meu marido fomos dar um passeio até um dos nossos locais preferidos, Belém. O dia estava espetacular e o céu lindíssimo. Começamos por ir tomar um café no "Café do Forte", que tem de um lado a Torre de Belém e do outro o Museu dos Combatentes. 







É um local muito agradável. Soube mesmo bem descansar, conversar e observar o que nos rodeava.

No rio, os barcos navegavam, alguns calmamente ao sabor de uma suave brisa, outros em energicas corridas .... há que satisfazer todos os gostos.







Um veículo bem especial também por lá navegava, o HiPPOtrip. Já fizemos uma viagem nestes barcos , é muito giro, pois primeiro fazem um percurso em terra e depois descem junto à Torre de Belém, na Doca do Bom Sucesso e entram na água. Poderão ver esse nosso passeio AQUI.





Não era só no rio que se "passeava", no ar um helicopetro andava a dar voltinhas ...





Depois do cafézinho fomos até à Torre de Belém. Não entramos, pois ainda não há muito tempo, que fomos lá (ver AQUI), só observamos novamente por fora, este fantástico e emblemático monumento.









Dali fomos ver o Monumento, o Memorial e a Capela do Combatente, mas isso ficará para um próximo post.




Fotos: Pessoais

Manhã - Poema de Virgínia Vitorino





Oh, a frescura intensa da manhã,
Batendo, lado a lado, toda a estrada ! 
_Inda há pouco apanhei uma braçada
De alfazema florida, ingénua e sã...
     
Abre no céu, a fulgida romã
Que em beijos de oiro se desfaz, cansada,
Oh, como eu sinto agora remoçada
A minha fé tranquila de cristã...
     
Nos silvados despontam as amoras,
Começa, ao longe, a vibração das noras
Todo o campo se alegra e se ilumina !
    
Passam pardais a grazinar em bando,
Um rebanho, um pastor, de quando em quando,
_E cheira a mato, a frutos, a resina...
     
       Virgínia Vitorino 


quarta-feira, 29 de junho de 2016

A estrela - Poema de Manuel Bandeiras



Vi uma estrela tão alta,
Vi uma estrela tão fria!
Vi uma estrela luzindo
na minha vida vazia.
 
Era uma estrela tão alta!
Era uma estrela tão fria!
Era uma estrela sozinha
Luzindo no fim do dia.
 
Por que da sua distância
Para a minha companhia
Não baixava aquela estrela?
Por que tão alta luzia?
E ouvi-a na sombra funda
Responder que assim fazia
Para dar uma esperança
mais triste ao fim do meu dia. 


Manuel Bandeiras


terça-feira, 28 de junho de 2016

Caminhando na Natureza....




Gosto de caminhar pela natureza, de a observar, de a sentir, de a apreciar. Toda a sua beleza e serenidade faz-me tão bem, perco completamente a noção do tempo e encontro a tão desejada paz interior.







"A natureza é o único livro que oferece um conteúdo valioso em todas as suas folhas." (Goethe)






"A natureza é grande nas coisas grandes e grandíssima nas pequeninas." (Saint-Pierre)






"Toda a natureza é uma harmonia divina, sinfonia maravilhosa que convida todas as criaturas a que acompanhem sua evolução e progresso." (Tsai Chih Chung)

Fotos: Pessoais

segunda-feira, 27 de junho de 2016

Muitos PARABÉNS Fábio





Hoje é dia de festejar o aniversário de um dos meus "meninos" o meu genro Fábio.




Não dá para comemorar fisicamente, pois o Fábio a Diana e a Leonor estão numas bem merecidas mini-férias, mas isso não tem importância, o que é realmente importante é que eles estejam bem e todos tenham um dia muito feliz.

 
Fábio, aqui do meu "espaço virtual" te envio os meus mais sinceros PARABÉNS e te desejo um mundo infinito de felicidades e alegrias.


Beijinhos de TODOS nós!!!



domingo, 26 de junho de 2016

O Pintor Oleg Zhivetin




O pintor Oleg Zhivetin nasceu em 8 de março de 1964, em Tashkent, capital do República Soviética do Uzbequistão.





Filho de uma família de pintores russos, começou a pintar com uma idade muito precoce sob a supervisão exigente do seu pai. Quando tinha nove anos de idade começou um programa de arte, onde aprendeu a trabalhar com aquarelas.



Ainda jovem, a sua família foi para Moscovo, e aos quinze anos Oleg começou os seus estudos na Academia de Arte de Moscovo.





Concluíu com distinção o grau de Belas Artes em 1982. Frequentou o Art Institute Surikov, tendo obtido o grau de Mestre de Belas Artes em 1990.





Nas suas pinturas encontram-se imagens religiosas, anjos e santos, bem como corações, instrumentos musicais, livros, seres celestiais, flores e outros símbolos de beleza e delicadeza.




"A pintura nunca é prosa. É poesia que se escreve com versos de rima plástica." ( Pablo Picasso )

sábado, 25 de junho de 2016

Viagem à HOLANDA - Divagar pela Praça DAM




Da nosso passeio à Amesterdão, já mostrei o Jardim Keukenhof, o Museumpelin e vamos agora divagar pela Praça Dam que fica no centro da cidade. 






Há hora que chegamos a praça estava super movimentada, havendo vários artistas de rua. Á noitinha quando por lá passamos novamente, já estava bem mais tranquila.





No topo da praça está o Palácio Real, um dos três palácios ainda usados pela Família Real. Um projecto do arquitecto e artista Jacob van Campen, foi erguido entre 1648 e 1665, durante o Século de Ouro dos Países Baixos, quando Amesterdão se encontrava no auge de seu poder.






Haviam por ali imensos pombos e o Pedro decidiu partilhar com eles um bolinho que estava a comer.




De um dos lados do Palácio Real encontra-se a linda Igreja Nieuwe Kerk (Igreja Nova). Foi construída em 1408, por indicação do bispo de Utrecht. 







Também virado para a praça está o Museu de cera de Madame Tussauds.




Em frente ao Palácio, destaca-se o National Monument (Monumento Nacional), uma enorme estátua branca, inaugurada em 4 de maio de 1956, em memória daqueles que morreram durante a Segunda Guerra Mundial. O monumento foi projetado pelo arquiteto holandês J.J.P. Oud, as esculturas são obra de John Rädecker e dos seus filhos Han e Jan Willem Rädecker e os relevos foram feitos pelo escultor Paul Grégoire.






Seguimos depois em direção ao edificio mais antigo de Amesterdão, "The Oude Church" que será o post seguinte.

Fotos: Pessoais