sábado, 5 de novembro de 2016

O Verbo - Poema de Fernando PY





o verbo
preexiste
às areias do tempo

o verbo
perfaz o mundo
em seus números

o verbo
no espaço da frase
conjuga
seu traço múltiplo

o verbo
molda-se em carne
no disfarce
da palavra

o verbo
se apessoa
aos enxertos
da voz 


o verbo
mal se conquista
- a doma é acerba

o verbo
se averba 


Fernando Py



6 comentários:

  1. Muito bom.
    Não conhecia este poeta.
    Obrigado pela partilha.
    Tem um bom fim de semana, querida amiga Maria.
    Beijo.

    ResponderEliminar
  2. Bela descrição sobre o verbo
    em forma de poema.
    belo.
    Beljos

    ResponderEliminar
  3. Boa tarde, Maria!
    vim agradecer sua visita em meu blog de artesanato e encontro esse poema. Gosto muito de poesia, no entanto, este autor eu não conhecia. Vou procurar me informar melhor.
    Um ótimo fim de semana!
    Bjs.

    ResponderEliminar
  4. Um belo poema Maria
    Um verbo tão bem conjugado nos enche a alma de sofisticada poesia
    Beijos e um feliz domingo

    ResponderEliminar
  5. Sempre boas descobertas, por aqui, Maria!...
    Desconhecia este poema e adorei!
    Beijinhos
    Ana

    ResponderEliminar
  6. E eu preciso dominar mas o verbo francês. Não conhecia ,beijinhos

    ResponderEliminar

“Aqueles que passam por nós, não vão sós, não nos deixam sós. Deixam um pouco de si, levam um pouco de nós” (Antoine de Saint-Exupery).

Obrigado pela sua visita e pelo carinho que demonstrou, ao dispensar um pouco do seu tempo, deixando aqui no meu humilde cantinho, um pouco de si através da sua mensagem.