terça-feira, 11 de outubro de 2016

Soneto - Poema de Virginia Victorino



Pelo sagrado amor que vem de ti,
amor que eu amo com amor sagrado;
pelo Ideal descoberto e realizado,
- bendita seja a hora em que te vi!

Pelas malditas horas que vivi
no desejo de amor tão desejado;
pelas horas benditas. ao teu lado,
- bendita seja a hora em que nasci!

Pelo triunfo enorme; pelo encanto
que me trouxeste, é que eu bendigo tanto
a hora suave que te viu nascer...

Amor do meu amor! Amor tão forte,
que se um dia sentir a tua morte,
será bendita a hora em que eu morrer!


Virgínia Victorino



10 comentários:

  1. Lindo poema,adorei! Ótimo dia! bjs, chica

    ResponderEliminar
  2. Lindo demais, este poema!!

    Beijos

    http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  3. Uma verdadeira oração de amor.
    Lindo poema Maria Rodrigues.
    Bjs-Carmen Lúcia.

    ResponderEliminar
  4. Soneto muito "seguro" na doce mensagem de Amor.
    Uma escolha "daquelas".
    Parabéns, Maria


    Beijo
    SOL

    ResponderEliminar
  5. Olá Maria
    Viver um amor deste, quando chega a morte, toda nossa vida
    não foi em vão.
    Bjs

    http://eueminhasplantinhas.blogspot.com.br/

    ResponderEliminar
  6. Maravilhoso poema ,muitos beijinhos querida amiga.

    ResponderEliminar
  7. Não conhecia. Gostei muito.

    Beijinho Maria

    ResponderEliminar

“Aqueles que passam por nós, não vão sós, não nos deixam sós. Deixam um pouco de si, levam um pouco de nós” (Antoine de Saint-Exupery).

Obrigado pela sua visita e pelo carinho que demonstrou, ao dispensar um pouco do seu tempo, deixando aqui no meu humilde cantinho, um pouco de si através da sua mensagem.