terça-feira, 18 de outubro de 2016

Noite de Sonhos Voada - Poema de Manuel da Fonseca




Noite de sonhos voada
cingida por músculos de aço,
profunda distância rouca
da palavra estrangulada
pela boca armodaçada
noutra boca,
ondas do ondear revolto
das ondas do corpo dela
tão dominado e tão solto
tão vencedor, tão vencido
e tão rebelde ao breve espaço
consentido
nesta angústia renovada
de encerrar
fechar
esmagar
o reluzir de uma estrela
num abraço
e a ternura deslumbrada
a doce, funda alegria
noite de sonhos voada
que pelos seus olhos sorria
ao romper de madrugada:
— Ó meu amor, já é dia!...


Manuel da Fonseca, (Poemas Dispersos)

10 comentários:

  1. Que bonito! Parabéns pela escolha. Amei


    Beijo
    http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  2. Vivemos de sonhos e muitas vezes os concretizamos,mesmo sendo apenas sonhos!
    Muito lindo Maria Rodrigues.
    Bjs-Carmen Lúcia.

    ResponderEliminar
  3. Portugal onde os poetas estão tratados como reis
    Abraço

    ResponderEliminar
  4. Uma bonita poesia de amor.
    Um abraço.
    Élys.

    ResponderEliminar
  5. OI MARIA!
    BELA ESCOLHA AMIGA, VALEU.
    ABRÇS

    http://zilanicelia.blogspot.com.br/

    ResponderEliminar
  6. Maria
    Quem aprecia poesia, gosta sempre de um qualquer poeta, nem sempre mais dos consagrados, pois procura sempre a agradável surpresa.
    Beijos

    ResponderEliminar
  7. Maravilhoso ,uma noite muito feliz ,beijinhos

    ResponderEliminar
  8. Sencilla, bonita y bien escrita, Maria.
    Un abrazo.

    ResponderEliminar

“Aqueles que passam por nós, não vão sós, não nos deixam sós. Deixam um pouco de si, levam um pouco de nós” (Antoine de Saint-Exupery).

Obrigado pela sua visita e pelo carinho que demonstrou, ao dispensar um pouco do seu tempo, deixando aqui no meu humilde cantinho, um pouco de si através da sua mensagem.