quinta-feira, 14 de julho de 2016

Flores Silvestres - Cistus ladanifer - Estevas




Os Cistus têm como nomes comuns esteva, xara, cerguaço, esteva-de-flor-toda-branca, esteva-do-ládano, esteva-lada, esteva-ordinária, estevas, estevão, lada, ládano, ledon, ládano-de-espanha, estêva, lábdano ou roselha. 





A Esteva é uma planta da família Cistaceae, nativa da parte ocidental da região mediterrânica, crescendo espontaneamente desde o sul de França a Portugal e no noroeste de África. 




O nome do género da esteva - Cistus - tem a ver com o facto de os seus frutos serem cápsulas globosas com 7 a 10 compartimentos. Etimologicamente vem do grego "ciste", que significa caixa, cesto.




É um arbusto que atinge 1-2,5 m de altura e de largura. As folhas são persistentes, lanceoladas, com 3–10 cm de comprimento e 1–2 cm de largura, verde escuro na face superior e mais claro na inferior.




As flores têm 5–8 cm de diâmetro, com 5 pétalas brancas finas, normalmente com um ponto vermelho a castanho na base de cada uma, rodeando os estames e pistilos amarelos. Toda a planta se apresenta recoberta com um exsudado de resina aromática. 




As folhas libertam uma resina aromática, o ládano ou lábdano, usado em perfumes, especialmente como fixador. O epíteto específico da esteva "ladanifer" vem do facto de ela produzir a resina denominada ládano cuja abundância lhe permite competir com outras espécies visto que parece inibir o crescimento destas - esta estratégia é denominada alelopatia. A resina serve também para proteger a planta contra a dissecação.




Texto explicativo: Wikipedia
Fotos: Pessoais

12 comentários:

  1. Olá Maria uma verdadeira aula de biologia, ótima. Que flor interessante e "poderosa", é mais um presente da natureza entre tantos que ela nos oferece.
    Outro presente são suas fotos, parabéns pela postagem, Amei.
    beijinhos, Léah

    ResponderEliminar
  2. Adoro todas as florzinhas que nascem perto do mar...ADOREI

    Beijo e um excelente dia.

    http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  3. Que flor linda Maria
    Eu nunca tinha visto
    E gostei de conhecer sobre ela
    Imagens fabulosas
    Um beijo doce

    ResponderEliminar
  4. Lindas flores, Maria, não conhecia!
    Beijos e o meu carinho...

    ResponderEliminar
  5. Ao contrário que ninguém o diga,
    de que não é linda a for da esteja
    no Alentejo, nas margens do Rio Mira
    ao longo do seu percurso perfume e beleza!

    Tenha uma boa tarde amiga Maria, um abraço,
    Eduardo.

    ResponderEliminar
  6. Oi, Maria...
    Há muito não te visitava, pois os dias passam céleres e parecem cada vez mais curtos... Mas é sempre encantador voltar a ver tuas postagens...
    Gosto imensamente destas flores aparentemente singelas, mas que "abrigam grande potencial"...
    Um beijinho.
    Luciane

    ResponderEliminar
  7. A natureza é tão bela ,muitos beijinhos querida amiga.

    ResponderEliminar
  8. Para além da explicação sobre tão belo espécime está a maravilha que soubeste flagrar com os olhos e a alma da poesia. Linda postagem que vem nos mostrar que a natureza sabe cuidar dos seus filhos e ainda os oferece à ciência para que deles possam aproveitar muito além da própria beleza.
    Sorrisos e estrelas, sempre, nesse teu caminhar tão encantado com as belas coisas que a vida pode oferecer e que tua sensibilidade sempre está a nos mostrar, minha linda!
    Meu carinho,
    Helena

    ResponderEliminar
  9. Belas imagens, e adorei ficar a conhecer um pouco mais, desta planta tão resistente...
    Beijinhos
    Ana

    ResponderEliminar
  10. A flor é belíssima, principalmente, no interior, muito bem mostrado pelas suas fotos, Maria. Adorei o post! A foto com o mar, é belíssima.

    ResponderEliminar

“Aqueles que passam por nós, não vão sós, não nos deixam sós. Deixam um pouco de si, levam um pouco de nós” (Antoine de Saint-Exupery).

Obrigado pela sua visita e pelo carinho que demonstrou, ao dispensar um pouco do seu tempo, deixando aqui no meu humilde cantinho, um pouco de si através da sua mensagem.