quinta-feira, 28 de julho de 2016

As Ondas





As ondas quebravam uma a uma
Eu estava só com a areia e com a espuma
Do mar que cantava só para mim.


Sophia de Mello Breyner Andresen



12 comentários:

  1. Olá, Maria Rodrigues
    Nessa canção das águas, o melhor é o sabor dos desejos
    Abraços

    ResponderEliminar
  2. A solidão e o mar.
    Linda composição.

    ResponderEliminar
  3. É assim que preciso de estar sozinha, no mar!
    LINDO

    Beijo
    http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  4. Belos versos da Sophia de Mello Breyner.
    Bjs

    ResponderEliminar
  5. Precioso poema.. Que tengas una feliz semana..

    ResponderEliminar
  6. Perfeito querida amiga ,desejo-lhe uma noite muito feliz ,beijinhos.

    ResponderEliminar
  7. Ilusão de espumas que se quebram e se vão. Abraços, Maria.

    ResponderEliminar
  8. Um belo devaneio na contemplação das ondas
    Um doce beijo amiga Maria

    ResponderEliminar

“Aqueles que passam por nós, não vão sós, não nos deixam sós. Deixam um pouco de si, levam um pouco de nós” (Antoine de Saint-Exupery).

Obrigado pela sua visita e pelo carinho que demonstrou, ao dispensar um pouco do seu tempo, deixando aqui no meu humilde cantinho, um pouco de si através da sua mensagem.