quinta-feira, 10 de março de 2016

Contemplo o Lago Mudo - Poema de Fernando Pessoa




Contemplo o lago mudo
Que uma brisa estremece.
Não sei se penso em tudo
Ou se tudo me esquece.

O lago nada me diz,
Não sinto a brisa mexê-lo
Não sei se sou feliz
Nem se desejo sê-lo.

 Trémulos vincos risonhos
Na água adormecida.
Por que fiz eu dos sonhos
A minha única vida?


Fernando Pessoa, in "Cancioneiro"


11 comentários:

  1. Olá Maria, um poema lindo para uma imagem fabulosa. Aos poucos vou voltando à vida. Beijos com carinho

    ResponderEliminar
  2. Poema fantástico! Amei.

    Beijinhos

    http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  3. Bom dia, Maria!
    Que gostoso ler Fernando Pessoa apreciando tão bela imagem. Lindo demais!
    Abração esmagador.

    ResponderEliminar
  4. Venho de um outro blog onde li Fernando Pessoa, tal como lá também esta tua escolha é excelente e que eu não lembrava.

    Beijinho minha querida amiga.

    ResponderEliminar
  5. Belo poema Maria. Se toda a poesia de Pessoa é prodigiosa, há sempre poemas a distinguir. Para mim este é de destaque.
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  6. Não é fácil rimar assim e com beleza. Parabéns pela poesia...

    beijinho amigo

    ResponderEliminar
  7. Oi Maria!
    Os poemas de Fernando Pessoa são lindos. Parabéns pela escolha!
    Bjssssss amiga

    ResponderEliminar
  8. Querida amiga Maria, ótimo esse poema e gosto demais deste poeta. Sonhar é a profissão dos poetas...

    Amiga muitíssimo grata por seus votos de que meu marido se recupere rapidinho, bem ele veio quarta feira para casa onde está sendo medicado e está fora de perigo.

    E seu genro, como está? Espero que Deus o Ajude e se recupere, tenha fé minha amiga, e muita força para sua filha.
    beijinhos, Léah

    ResponderEliminar
  9. Maravilhoso Fernando Pessoa ,muitos beijinhos querida amiga.

    ResponderEliminar
  10. Sempre fascinante ler Pessoa!...
    Mais uma grande escolha, Maria!
    Beijos
    Ana

    ResponderEliminar

“Aqueles que passam por nós, não vão sós, não nos deixam sós. Deixam um pouco de si, levam um pouco de nós” (Antoine de Saint-Exupery).

Obrigado pela sua visita e pelo carinho que demonstrou, ao dispensar um pouco do seu tempo, deixando aqui no meu humilde cantinho, um pouco de si através da sua mensagem.