domingo, 24 de janeiro de 2016

Não te Fies do Tempo nem da Eternidade - Poema de Cecília Meireles


Não te fies do tempo nem da eternidade
que as nuvens me puxam pelos vestidos,
que os ventos me arrastam contra o meu desejo.
Apressa-te, amor, que amanhã eu morro,
que amanhã morro e não te vejo!

Não demores tão longe, em lugar tão secreto,
nácar de silêncio que o mar comprime,
ó lábio, limite do instante absoluto!
Apressa-te, amor, que amanhã eu morro,
que amanhã morro e não te escuto!

Aparece-me agora, que ainda reconheço
a anêmona aberta na tua face
e em redor dos muros o vento inimigo...
Apressa-te, amor, que amanhã eu morro,
que amanhã morro e não te digo...


Cecília Meireles, in 'Retrato Natural'


12 comentários:

  1. Lindo poema da nossa poetisa maior. Beijos, Maria.

    ResponderEliminar
  2. Un nostálgico relato nunca sabemos cuando vamos a morir eso lo decide el destino,
    el amor verdadero siempre es eterno hasta el más allá, una bonita entrada, un placer volverte a leer.

    Un abrazo que tengas un feliz domingo.

    ResponderEliminar
  3. Cecilia Meireles... toda poesia do mundo envolta em profunda melancolia!...
    Amo Cecilia Meireles desde criança... "essa menina tão pequenina quer ser bailarina"!...

    Bom domingo! Boa semana!
    Beijinhos.
    ❤ه° ·.

    ResponderEliminar
  4. Soberbo poema. >Grande Poetisa! Boa escolha.

    Beijo e um excelente Domingo.

    http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  5. Amor esse belo sentimento que remexe em tantos sentires ,muitos beijinhos felicidades.

    ResponderEliminar
  6. Maria, obrigada por partilhar. Grande poetisa, Cecília Meireles. Impressionante esta temática da passagem do tempo, que voa. Tenha uma ótima semana!

    ResponderEliminar
  7. Um post deslumbrante... como sempre, uma magnífica partilha, Maria!
    Beijinhos! Bom começo de semana!
    Ana

    ResponderEliminar
  8. Um post deslumbrante... como sempre, uma magnífica partilha, Maria!
    Beijinhos! Bom começo de semana!
    Ana

    ResponderEliminar
  9. Lindo demais esse poema, bela escolha, a imagem é lindíssima, Adorei amiga Maria!
    Abraços apertados!

    ResponderEliminar
  10. Sei que minha ausência tem afastado pessoas
    tão querida por mim como você.
    Concordo esta cada dia mais difícil manter
    um blog no ar.
    De verdade só quem gosta muito e fez amizades
    que nenhuma ausência separa ou nos deixa esquecer.
    A 11 ano entrava acanhada com meu primeiro
    blog no ar.
    Fonte de Amor..
    Eu mantenho todos meus blogs no ar muitos
    eu tirei do ar ,
    mas aquele que foi o primeiro me acompanha pela vida afora.
    Sinto saudades das amizades que fiz
    nesses 11 anos.
    Mas hoje venho para te agradecer seu carinho
    que tanto significa para mim.
    Peço desculpas por hoje estar mais ausente
    muitas coisas também mudou para mim.
    Veio a dor e mesmo com dificuldade ainda tento
    prosseguir.
    Que Deus abençoe você em sua jornada.
    Um feliz Domingo.
    Deixo um beijo carinhoso
    e o convite para me visitar.
    E se for do seu gosto deixei mimo
    na postagem fique a vontade para levar.
    Abraços fraternos e eternos.
    Evanir..

    ResponderEliminar
  11. Poema encantador amei
    Vídeo novo: https://www.youtube.com/watch?v=apP6eHn5PlI
    Blog: http://arrasandonobatomvermelho.blogspot.com.br/

    ResponderEliminar

“Aqueles que passam por nós, não vão sós, não nos deixam sós. Deixam um pouco de si, levam um pouco de nós” (Antoine de Saint-Exupery).

Obrigado pela sua visita e pelo carinho que demonstrou, ao dispensar um pouco do seu tempo, deixando aqui no meu humilde cantinho, um pouco de si através da sua mensagem.