domingo, 1 de novembro de 2015

Jardim Perdido - Poema de Sofia de Mello Breyner Andresen




Jardim em flor, jardim de impossessão,
Transbordante de imagens mas informe,
Em ti se dissolveu o mundo enorme,
Carregado de amor e solidão.

A verdura das árvores ardia,
O vermelho das rosas transbordava
Alucinado cada ser subia
Num tumulto em que tudo germinava.

A luz trazia em si a agitação
De paraísos, deuses e de infernos,
E os instantes em ti eram eternos
De possibilidades e suspensão.

Mas cada gesto em ti se quebrou, denso
Dum gesto mais profundo em si contido,
Pois trazias em ti sempre suspenso
Outro jardim possível e perdido.


Sofia de Mello Breyner Andresen



5 comentários:

  1. Belíssima escolha amiga~.
    Um abraço e bom domingo.

    ResponderEliminar
  2. Desejo-lhe um feliz Domingo querida amiga ,beijinhos

    ResponderEliminar

  3. Jardim perdido.... sonho perdido!...

    Bom domingo! Ótima semana!
    Beijinhos.
    ❀ه° ·.

    ResponderEliminar
  4. Beleza neste versos, entre o belo e os sentimentos, que transmitem melancolia, mas também esperança.
    Abraços de vida, querida amiga

    ResponderEliminar
  5. Uma grande partilha!... Adoro as palavras profundas e plenas de sensibilidade, que tanto nos tocam, como tão bem Sophia, o sabia fazer...
    Adorável!
    Bjs
    Ana

    ResponderEliminar

“Aqueles que passam por nós, não vão sós, não nos deixam sós. Deixam um pouco de si, levam um pouco de nós” (Antoine de Saint-Exupery).

Obrigado pela sua visita e pelo carinho que demonstrou, ao dispensar um pouco do seu tempo, deixando aqui no meu humilde cantinho, um pouco de si através da sua mensagem.