sábado, 24 de outubro de 2015

A Corrente




Lá vão as folhas secas na corrente...
Lá vão as folhas soltas das ramadas...
Hastes envelhecidas e quebradas
galgando as asperezas da vertente.

A cheia arrasa os frutos e a semente,
a terra inculta, as várzeas fecundadas,
e vai perder-se ao longe, nas quebradas,
numa fúria cruel e inconsciente.

Em nós ainda é mais funda, ainda é mais vasta,
esta ansiedade enorme e sem perdão,
que nos fere, nos tolhe e nos devasta...

As árvores desprendem-se e lá vão...
Mas nós ficamos porque nada arrasta
as raízes fiéis dum coração.


Fernanda de Castro 

                    

14 comentários:

  1. Hello Maria,
    Nice words with a wonderful image. Great.

    I wish you a nice weekend,
    Marco

    ResponderEliminar
  2. Bom dia, Maria Rodrigues
    Poema maravilhoso!! Adorei :-)

    Beijo, bom fim de semana

    http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  3. Bom dia querida amiga desejo-lhe um dia muito feliz ,beijinhos

    ResponderEliminar
  4. Lá vão as folhas secas na corrente,
    das árvores, as que caíram no chão
    quem sorri de alegria, tristeza não sente
    no seu, dentro do peito, bondoso coração.

    Tenha um bom fim de semana,
    amiga Maria, um abraço,
    Eduardo

    ResponderEliminar
  5. Deve ser isso que nos une...Essa ansiedade enorme e sem perdão. Bonita e bem real essa poesia. Sensível coração.

    ResponderEliminar
  6. Maria, bela ode de Fernanda de Castro, que podemos atribuir ao Outono.
    beijos

    ResponderEliminar
  7. Olá minha querida amiga, mais uma vez aqui e, com muito gosto, este cantinho está maravilhoso, a cada dia que passa" eu até penso que a princesinha Inês já vem aqui ao blogue da vovó para deixar aqui um pouco da beleza dela".
    Amiga o fim de semana não esta lá muito famoso para passear mas, meu amor aproveita-o de qualquer modo, o essencial é usufruir da melhor maneira, que todos tenham um lindo fim de semana com beijinhos de luz e muita paz.

    ResponderEliminar
  8. Belíssimas palavras... que tão bem combinam com os dias de Outono... e nos convidam à introspecção...
    Como sempre, uma óptima escolha, Maria!
    Beijinhos! Bom fim de semana!
    Ana

    ResponderEliminar
  9. Oi Maria
    Que se essa corrente que leva as folhas caídas também levasse as dores do coração
    Belíssimo poema
    Um ótimo domingo para você
    Beijos

    ResponderEliminar
  10. Olá Maria, uma visita por aqui e já me encantei com o seu cantinho.
    Beijos

    ResponderEliminar
  11. Aproveitado tuas rimas

    Lá vai aquele tempo assim contente
    De brincadeiras relaxantes e risadas
    Ho! Aquelas juventudes iluminadas!
    Que traz boas lembranças prá gente.

    Agora, quase no ocaso o corpo sente
    Que então percorreu muitas estradas
    Teve desilusões e até levou cacetadas
    Porém, a vida manda andar prá frente.

    E assim, numa existência assaz casta
    Não há porque lamentar a desilusão
    Pois viver bem, por si somente basta.

    Às virtudes deve-se jamais dizer não
    Porquanto só o bem ao mal contrasta
    Assim futuros maravilhosos dias virão.

    ResponderEliminar
  12. Umas folhas se secam mas há outras que se renovam substituindo as folhas secas,gostei imenso desse pequenino poema,beijinhos fofinhos!!

    ResponderEliminar

“Aqueles que passam por nós, não vão sós, não nos deixam sós. Deixam um pouco de si, levam um pouco de nós” (Antoine de Saint-Exupery).

Obrigado pela sua visita e pelo carinho que demonstrou, ao dispensar um pouco do seu tempo, deixando aqui no meu humilde cantinho, um pouco de si através da sua mensagem.