quarta-feira, 2 de setembro de 2015

Meu desejo



Meu desejo? era ser a luva branca

Que essa tua gentil mãozinha aperta:

A camélia que murcha no teu seio,
O anjo que por te ver do céu deserta....

Meu desejo? era ser o sapatinho
Que teu mimoso pé no baile encerra....
A esperança que sonhas no futuro,
As saudades que tens aqui na terra....

Meu desejo? era ser o cortinado
Que não conta os mistérios do teu leito;
Era de teu colar de negra seda
Ser a cruz com que dormes sobre o peito.

Meu desejo? era ser o teu espelho
Que mais bela te vê quando deslaças
Do baile as roupas de escomilha e flores
E mira-te amoroso as nuas graças!

Meu desejo? era ser desse teu leito
De cambraia o lençol, o travesseiro
Com que velas o seio, onde repousas,
Solto o cabelo, o rosto feiticeiro....

Meu desejo? era ser a voz da terra
Que da estrela do céu ouvisse amor!
Ser o amante que sonhas, que desejas
Nas cismas encantadas de langor!


Alvares de Azevedo 

6 comentários:

  1. Muito belo. Muito apaixonado estaria o poeta, para tão belo poema ter escrito.
    Um abraço

    ResponderEliminar
  2. Bom dia

    Maravilhoso poema aqui deixado! Amei

    Beijinhos
    http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  3. Um belo poema de Alvares de Azevedo.
    Gostei.
    Um abraço e continuação de uma boa semana.

    ResponderEliminar
  4. Lindo,adorei.
    Um poema bem delicado de Alvares de Azevedo.
    Bjs Maria e um ótimo dia.
    Carmen Lúcia

    ResponderEliminar
  5. Como sempre lindos poemas ,beijinhos muitas felicidades

    ResponderEliminar
  6. Mais uma soberba escolha... de palavras tocantes!
    Adorei, Maria! Puro bom gosto!
    Bjs
    Ana

    ResponderEliminar

“Aqueles que passam por nós, não vão sós, não nos deixam sós. Deixam um pouco de si, levam um pouco de nós” (Antoine de Saint-Exupery).

Obrigado pela sua visita e pelo carinho que demonstrou, ao dispensar um pouco do seu tempo, deixando aqui no meu humilde cantinho, um pouco de si através da sua mensagem.