quinta-feira, 3 de setembro de 2015

Como nuvens



Como nuvens pelo céu
Passam os sonhos por mim.
Nenhum dos sonhos é meu
Embora eu os sonhe assim.


São coisas no alto que são
Enquanto a vista as conhece,
Depois são sombras que vão
Pelo campo que arrefece.


Símbolos? Sonhos? Quem torna
Meu coração ao que foi?
Que dor de mim me transtorna?
Que coisa inútil me dói?


Fernando Pessoa


6 comentários:

  1. Amo ler Fernando Pessoa!
    Lindo poema, muito bem escolhido!
    Abraços!

    ResponderEliminar
  2. Um belo poema do Fernando Pessoa.
    Um abraço e bom fim de semana.

    ResponderEliminar
  3. Tão bonito!
    Parabéns

    Beijo, bom fim de semana.
    http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  4. Há mesmo dores de coisas inúteis.
    Excelente escolha poética. Pessoa é Pessoa...
    Maria, desejo-lhe um bom fim de semana.
    Beijinhos.

    ResponderEliminar
  5. Os sonhos não têm dono, são como o ar que respiramos.
    Um abraço e bom fim de semana

    ResponderEliminar
  6. Fernando Pessoa... sempre fascinante e desconcertante... adoro ler!
    Belíssima escolha, Maria!
    Bjs
    Ana

    ResponderEliminar

“Aqueles que passam por nós, não vão sós, não nos deixam sós. Deixam um pouco de si, levam um pouco de nós” (Antoine de Saint-Exupery).

Obrigado pela sua visita e pelo carinho que demonstrou, ao dispensar um pouco do seu tempo, deixando aqui no meu humilde cantinho, um pouco de si através da sua mensagem.