terça-feira, 18 de agosto de 2015

Qual tem a borboleta por costume




Qual tem a borboleta por costume,
que, enlevada na luz da acesa vela,
dando vai voltas mil, até que nela
se queima agora, agora se consume;

tal eu correndo vou ao vivo lume
desses olhos gentis, Aónia bela;
e abraso-me, por mais que com cautela
livrar-me a parte racional presume.

Conheço o muito a que se atreve a vista,
o quanto se levanta o pensamento,
o como vou morrendo claramente.

Porém, não quer Amor que lhe resista,
nem a minha alma o quer; que em tal tormento,
qual em glória maior, está contente.


Luís Vaz de Camões


15 comentários:

  1. Eis um poeta sublime na hora de falar de amor...minha voz se cala, minha pena estanca, perante um talento como este.
    Tenha uma feliz semana, querida Maria! Agradecemos sua gentil visita ao nosso blog.
    Abraços,
    Bíndi e Ghost

    ResponderEliminar
  2. Que maravilhoso soneto de Camões.
    É tão bom relembrá-lo!
    Beijos, boa noite!
    Mariangela

    ResponderEliminar
  3. Olá, gostei muito do blog. Parabéns! :D
    Também tenho um, onde coloco alguns de meus poemas. Poderia dar uma olhada?
    http://wordsbyalonelyguy.blogspot.com.br

    ResponderEliminar
  4. ✿ Que lindas borboletas e poesia! Aliás tudo por aqui é um encanto! Uma feliz semana! :) ✿

    Bjs

    ResponderEliminar
  5. Áhh Soberbo poema!! Adoro borboletas.

    Beijinhos

    http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  6. Bom dia, Luís Vaz de Camões no seu melhor, Camões e Eusébio da Silva, são dois homens da cultura, das letras, heróis, contribuíram para o conhecimento e desenvolvimento, ambos estão no panteão nacional porque são comparáveis pelos seu feitos.
    AG

    ResponderEliminar
  7. Não conhecia esse poema de Camões. É lindo!
    Bjs

    ResponderEliminar
  8. Bom dia, Maria!
    Um belo poema para começarmos o dia e na combinação perfeita dessa linda imagem.
    Abraços e ótima semana.
    Márcia.

    ResponderEliminar
  9. Maria Rodrigues, Camões, como nos mostra o presente soneto, dá mais um exemplo de como se pensa e escreve poesia. Ou não tivesse sido um expoente da poesia portuguesa. Que contribui para a fixação da nossa língua.
    Beijos

    ResponderEliminar
  10. Olá Maria!

    Gosto muito de borboletas!
    E conjugadas com Camões, melhor ainda.
    A pouco fotografei essa espécie de borboleta que é linda demais, não é?
    Amiga, hoje fiz um singelo post, homenageando Portugal e todas amigas portuguesas que visitam o meu espaço.
    Quando puder, passe por lá!

    Lindo dia!

    Bjksss

    ResponderEliminar
  11. Camões e a sua lírica, oferecendo-nos sonetos maravilhosos.
    Obrigada, Maria, por no-lo trazer numa das suas mais belas expressões poéticas.
    Bj
    Olinda

    ResponderEliminar
  12. O grande Camões escreveu sonetos maravilhosos.
    A Maria teve a delicadeza de nos relembrar. Lindas borboletas.
    Boa semana.
    Bjs.

    ResponderEliminar
  13. Neste lindo soneto fez-me recordar o tempo da escola ,beijinhos felicidades.

    ResponderEliminar
  14. um soneto como ele sabia escrever grande Poeta!
    boa escolha!
    um beijo
    :)

    ResponderEliminar
  15. Olá, Maria.
    Acredite que não conhecia este soneto de Camões. Lindo! Camões apreciando borboletas, coisa mais linda!
    bj amg

    ResponderEliminar

“Aqueles que passam por nós, não vão sós, não nos deixam sós. Deixam um pouco de si, levam um pouco de nós” (Antoine de Saint-Exupery).

Obrigado pela sua visita e pelo carinho que demonstrou, ao dispensar um pouco do seu tempo, deixando aqui no meu humilde cantinho, um pouco de si através da sua mensagem.