segunda-feira, 1 de junho de 2015

O sol fechou o dia .... Poema de Vitorino Nemésio




O sol fechou o dia
Sem mão nem chave;
A pouca luz que havia
Deu-a para uma ave.

Então a ave selou...
Com seu sono seu ninho,
E a terra toda amou
Na casa do passarinho.

Um ovo é como uma chave,
Mas só abre a vida às penas.
Apetece ser ave,
Ter as mágoas pequenas.

Vitorino Nemésio




22 comentários:

  1. Desejo-te uma maravilhosa semana com tudo de bom,adorei os teus poemas e as fotografias dos passarinhos,excelente postagem,até breve!!

    ResponderEliminar
  2. Que bonita palabras, felicidadesvpor tu post.Me ha encantado tu bloc te espero esta semana Renovándome por dentro....y por fuera!, en elracodeldetall.blogspot.com

    ResponderEliminar
  3. Muito bom recordar Vitorino Nemésio, aqui neste poema que parece tão singelo mas com um mundo de desafios.

    Boa semana, querida Maria.

    Bj

    Olinda

    ResponderEliminar
  4. ~Bom dia
    Lindas palavras que gostei de ler!

    Beijinhos e ótima semana.

    http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  5. Um belo poema de Vitorino Nemésio um escritor e poeta, que infelizmente está a ser esquecido.
    Um abraço e boa semana.

    ResponderEliminar
  6. Então, eu quero ser um passarinho...
    Beijos, Maria!

    ResponderEliminar
  7. Bonito poema, Maria! Profundo e bom p ler e reler...
    Uma boa semana... Beijos

    ResponderEliminar
  8. Olá Maria

    A singeleza e a beleza do poema encantam e inspiram.

    Boa semana! Beijos

    ResponderEliminar
  9. Lindas palavras de muita reflexão.
    Bjs Maria Rodrigues e uma ótima semana.
    Carmen Lúcia.

    ResponderEliminar
  10. Olá Maria
    Passando por aqui para conhecer o seu blog. Lugar bastante acolhedor. Linda postagem. Um forte abraço.

    ResponderEliminar
  11. Maria, minha querida! Quantas palavras belas e sábias. bjs

    ResponderEliminar
  12. Maravilhoso momento ,desejo-lhe uma semana cheia de felicidade,beijinhos

    ResponderEliminar
  13. Muito bonito este poema que não conhecia.
    Obrigada pela partilha. Um abraço e uma boa semana

    ResponderEliminar
  14. Oi Maria; lindo poema adorei as corujas.
    Mas olhando bem de perto... as aves são como os humanos;
    Também tem seus problemas kkk dá até para aprender com elas;
    como lidar com muitas coisas kkk.
    Abração
    Janicce

    ResponderEliminar
  15. Lindo poema!
    Apetece ser ave,
    Ter as mágoas pequenas.
    Verdade.
    Beijinhos.

    ResponderEliminar
  16. Simples e bem pequenino,
    Este Poema gerou
    Na pena do Vitorino
    Um sonho que cá ficou.



    Beijos


    SOL

    ResponderEliminar
  17. outra igual não haverá?
    essa tão mais pura verdade
    será que algum dia não voltará
    vai e volta em liberdade!

    Vitorino Nemésio.
    de Angra do Heroísmo
    para mim foi privilégio
    a ter conhecido!

    Tenha amiga Maria uma boa tarde, um beijo.
    Eduardo.

    ResponderEliminar
  18. Oi querida amiga, lindo poema!!
    Vim lhe desejar uma excelente semana, beijos e fique com Deus!!

    ResponderEliminar
  19. Que belíssimo! E tão profundo!
    Amei!
    Beijos,
    Mariangela

    ResponderEliminar

“Aqueles que passam por nós, não vão sós, não nos deixam sós. Deixam um pouco de si, levam um pouco de nós” (Antoine de Saint-Exupery).

Obrigado pela sua visita e pelo carinho que demonstrou, ao dispensar um pouco do seu tempo, deixando aqui no meu humilde cantinho, um pouco de si através da sua mensagem.