quarta-feira, 1 de abril de 2015

Noite Apressada - Poema de David Mourão-Ferreira



Era uma noite apressada
depois de um dia tão lento.
Era uma rosa encarnada
aberta nesse momento.
Era uma boca fechada
sob a mordaça de um lenço.
Era afinal quase nada,
e tudo parecia imenso!

Imensa, a casa perdida
no meio do vendaval;
imensa, a linha da vida
no seu desenho mortal;
imensa, na despedida,
a certeza do final.

Era uma haste inclinada
sob o capricho do vento.
Era a minh'alma, dobrada,
dentro do teu pensamento.
Era uma igreja assaltada,
mas que cheirava a incenso.
Era afinal quase nada,
e tudo parecia imenso!

Imensa, a luz proibida
no centro da catedral;
imensa, a voz diluída
além do bem e do mal;
imensa, por toda a vida,
uma descrença total!

David Mourão-Ferreira



6 comentários:

  1. Não conhecia...e é simplesmente...adorável!!!
    Bj

    ResponderEliminar
  2. Boa tarde, O conhecido poeta David Mourão-Ferreira tem poema lindos de fácil compreensão, confesso que conheço pouco da obra do mesmo, o pouco que conheço é belo.
    AG

    ResponderEliminar
  3. Genial Poema de Mourão Ferreira. Só ele conseguia deixar a linha da reflexão em "uma noite apressada" havendo perdido a Fé.
    Boa escolha e selecção, Maria.


    Páscoa Feliz.


    Beijos


    SOL

    ResponderEliminar
  4. Passando para te visitar parabenizar pelas belas
    postagens e desejar que sua Pascoa venha com
    muita paz e alegria........E doce como o chocolate

    Boa semana bjuss com carinho


    └──●► *Rita!!

    ResponderEliminar
  5. Oi querida amiga, vim lhe desejar uma Feliz Páscoa!!
    Beijos e tenha uma feliz semana, fique com Deus!!!!!

    ResponderEliminar

“Aqueles que passam por nós, não vão sós, não nos deixam sós. Deixam um pouco de si, levam um pouco de nós” (Antoine de Saint-Exupery).

Obrigado pela sua visita e pelo carinho que demonstrou, ao dispensar um pouco do seu tempo, deixando aqui no meu humilde cantinho, um pouco de si através da sua mensagem.