terça-feira, 17 de março de 2015

Perdão - Poema de Fernanda de Castro



Aqui me tens, meu Deus, em confissão.
Não roubei. Não matei. Não caluniei.
Mas nem sempre segui a tua lei,
nem sempre fui a irmã do meu irmão.
Não recusei aos outros o meu pão.
Amor, algumas vezes, recusei.
Mas por tudo o que dei e o que não dei,
eu te peço, meu Deus, o meu perdão.
Perdão para os meus pecados conscientes
e para os meus pecados inocentes,
para o mal que já fiz e ainda fizer ...
Perdão para esta culpa original,
para este longo e complicado mal:
o crime sem perdão de ser mulher.


 
Maria Fernanda Telles de Castro e Quadros

3 comentários:

  1. Que poema lindo!
    Sempre temos que pedir perdão pois cometemos alguns pecados mesmo que involuntários
    Um bom dia para você
    Beijos

    ResponderEliminar
  2. Bonito poema.

    Isabel Sá
    https://brilhos-da-moda.blogspot.pt

    ResponderEliminar
  3. Oi Maria, que linda oraçao em forma de poesia.
    Bjks e otima quarta.

    ResponderEliminar

“Aqueles que passam por nós, não vão sós, não nos deixam sós. Deixam um pouco de si, levam um pouco de nós” (Antoine de Saint-Exupery).

Obrigado pela sua visita e pelo carinho que demonstrou, ao dispensar um pouco do seu tempo, deixando aqui no meu humilde cantinho, um pouco de si através da sua mensagem.