terça-feira, 3 de março de 2015

Os Putos - Poema Ary dos Santos




Uma bola de pano, num charco
Um sorriso traquina, um chuto
Na ladeira a correr, um arco
O céu no olhar, dum puto.

Uma fisga que atira a esperança
Um pardal de calções, astuto
E a força de ser criança
Contra a força dum chui, que é bruto.

Parecem bandos de pardais à solta
Os putos, os putos
São como índios, capitães da malta
Os putos, os putos
Mas quando a tarde cai
Vai-se a revolta
Sentam-se ao colo do pai
É a ternura que volta
E ouvem-no a falar do homem novo
São os putos deste povo
A aprenderem a ser homens.

As caricas brilhando na mão
A vontade que salta ao eixo
Um puto que diz que não
Se a porrada vier não deixo.

Um berlinde abafado na escola
Um pião na algibeira sem cor
Um puto que pede esmola
Porque a fome lhe abafa a dor.

Ary dos Santos



8 comentários:

  1. https://www.youtube.com/watch?v=MZv5Aa2Nb04

    Um poema sempre actual, que nos aviva as saudades de uma época já passada.

    Felicidades
    MANUEL

    ResponderEliminar
  2. Olá Maria!

    este poema do Ary é um tesouro, tem uma letra linda
    e na voz de Carlos do Carmo é ainda mais rico e emocionante
    deixo-te o link

    http://youtu.be/HQOWrH-ruvA

    grata pelo teu carinho lá no vento.
    beijinho

    ResponderEliminar
  3. José Carlos Ary dos Santos, foi um grande poeta contemporâneo que bons cantores interpretaram, entre os quais Carlos do Carmo, com este poema "OS PUTOS", e não só.
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  4. Um poeta com letra maiúscula com uma mensagem tão atual!
    E estes putos, crescerão como e com a revolta!
    Beijinho meu Maria!

    ResponderEliminar
  5. Um dos mais belos poemas de Ary dos Santos.
    Bonitas as ilustrações amiga Maria.

    Eu também faço anos a 6 mas de Abril:)

    beijinho

    ResponderEliminar
  6. Muito bonita esta poesia que fala de putos...
    Bjs.

    ResponderEliminar
  7. Oi querida amiga, ótimo post!
    Vim lhe desejar uma excelente semana,
    Beijos pra você e família!

    ResponderEliminar

“Aqueles que passam por nós, não vão sós, não nos deixam sós. Deixam um pouco de si, levam um pouco de nós” (Antoine de Saint-Exupery).

Obrigado pela sua visita e pelo carinho que demonstrou, ao dispensar um pouco do seu tempo, deixando aqui no meu humilde cantinho, um pouco de si através da sua mensagem.