domingo, 15 de março de 2015

Cantares dos Buzios




Ai ondas do mar, ai ondas,
ó jardins das alvas flores,
sobre vós, ondas, ai ondas,
suspiram os meus amores.

No fundo dos búzios canta
o mar que chora a cantar
ó mar que choras cantando,
eu canto e estou a chorar!

Ai ondas do mar, ai ondas,
eu bem vos quero lembrar:
«a minha alma é só de Deus
e o meu corpo da água do mar!»


Antonio Lopes Vieira

5 comentários:

  1. Os búzios trazem-nos os cantares do mundo, através do mar.
    Em criança eu e os meus irmãos tentávamos ouvir esses segredos,
    tão bem guardados, de outras terras e outras gentes.
    Muito bom recordar Afonso Lopes Vieira.
    Bj

    Olinda

    ResponderEliminar
  2. Um belíssimo hino ao amor.
    Poema fantástico!
    Beijos e um domingo abençoado

    ResponderEliminar
  3. Olá, Maria!
    Um poema nostálgico que envolve a saudade do marulhar das ondas do mar e do seu sal que nos integra...
    Abraços,
    Jorge

    ResponderEliminar
  4. Que lindo poema falando de mar, com suas águas salgadas que vão e que vem num espraiar infinito.
    Feliz tarde de domingo, beijos

    ResponderEliminar

“Aqueles que passam por nós, não vão sós, não nos deixam sós. Deixam um pouco de si, levam um pouco de nós” (Antoine de Saint-Exupery).

Obrigado pela sua visita e pelo carinho que demonstrou, ao dispensar um pouco do seu tempo, deixando aqui no meu humilde cantinho, um pouco de si através da sua mensagem.