quinta-feira, 8 de janeiro de 2015

Coisa Amar






Contar-te longamente as perigosas
coisas do mar. Contar-te o amor ardente
e as ilhas que só há no verbo amar.
Contar-te longamente longamente.

Amor ardente. Amor ardente. E mar.
Contar-te longamente as misteriosas
maravilhas do verbo navegar.
E mar. Amar: as coisas perigosas.

Contar-te longamente que já foi
num tempo doce coisa amar. E mar.
Contar-te longamente como doi

desembarcar nas ilhas misteriosas.
Contar-te o mar ardente e o verbo amar.
E longamente as coisas perigosas.

Manuel Alegre





6 comentários:

  1. Gosto muito da sua poesia...bela escolha e grande poeta!
    bj

    ResponderEliminar
  2. Existe poesia de todo jeito. Esse é de gente medrosa, mas enfim, gosto é gosto. Que você continue se inspirando como seu coração melhor te incentivar.

    ResponderEliminar
  3. Todas as vezes que chego até aqui posso sempre desfrutar de belas postagens, recheadas de carinho e sensibilidade!! Amiga, que teu ano seja repleto de grandes realizações...

    ResponderEliminar
  4. Una entrada muy hermosa felicidades para este año que recién empieza.

    Un gran abrazo feliz fin de semana.

    ResponderEliminar
  5. Por aqui tem sempre um encanto de poesia
    um belo post ,faz bem pra alma e o coração

    Bom final de semana

    Rita!!

    ResponderEliminar

“Aqueles que passam por nós, não vão sós, não nos deixam sós. Deixam um pouco de si, levam um pouco de nós” (Antoine de Saint-Exupery).

Obrigado pela sua visita e pelo carinho que demonstrou, ao dispensar um pouco do seu tempo, deixando aqui no meu humilde cantinho, um pouco de si através da sua mensagem.