sábado, 15 de novembro de 2014

Ausência




Por muito tempo achei que a ausência é falta.
E lastimava, ignorante, a falta.
Hoje não a lastimo.
Não há falta na ausência.
A ausência é um estar em mim.
E sinto-a, branca, tão pegada, aconchegada nos meus braços,
que rio e danço e invento exclamações alegres,
porque a ausência, essa ausência assimilada,
ninguém a rouba mais de mim.


Carlos Drummond de Andrade


15 comentários:

  1. Que bom, depois de longa ausência, encontrar meu poeta preferido!
    Além do mais, com uma bela definição de "ausência"...Tenho que
    concordar com mineirice do poeta!
    Um beijo, Maria! Valeu!

    ResponderEliminar
  2. Lindo... Doce noite!! Bjos no seu coração

    ResponderEliminar
  3. Um poeta que vale ouro
    td que escreve é perfeito boa escolha amiga
    Drumond é divino

    Abraços com carinho!

    └──●► *Rita!!

    ResponderEliminar
  4. E quem assim escreve sabe o que quer...e o que diz

    Bom fim de semana

    Deixo cumprimentos

    Estou por aqui:
    http://pensamentosedevaneiosdoaguialivre.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  5. Boa tarde Maria, como vai amiga?
    Belíssimo poema esse que fala da ausência! Não é uma falta é um saber conviver com quem está longe, sabendo que está sempre presente no nosso coração!Um beijinho e bom domingo.
    Ailime

    ResponderEliminar
  6. Lindo! Excelente escolha.

    Bom fim de semana Maria.

    Beijinho

    ResponderEliminar
  7. Ausência assimilada deixa de ser a mesma ausência.
    Grande poeta, fizeste uma excelente escolha.
    Tem um bom fim de semana, querida amiga Maria.
    Beijo.

    ResponderEliminar
  8. Não sei se é um problema meu, da internet, ou uma loucura qualquer, mas tentei entrar em sua página (seu blog) e a resposta era: você não foi aceita, tente com outra URL !! E hoje estou aqui, não houve nem uma dessas loucuras, mas deixe pra lá, o importante é que suas escolhas são sempre maravilhosas.
    Amo os poemas de Carlos Drummond, mas a ausência dói muito quando nos abraça.
    beijinhos, Léah

    ResponderEliminar
  9. Drummond de Andrade. Só um grande poeta sabe dizer aquilo que sentimos...
    Um beijo.

    ResponderEliminar
  10. Drumond de Andrade, pensador, legou-nos Pensamentos de alto valor. Este, um deles.
    Grato por no-lo trazeres á lembrança.

    Beijos


    SOL

    ResponderEliminar
  11. Que lindo,Maria! Emocionante!


    Meu marido operou no dia 7/11 e se recupera .Daí estou sem tempo para o blog.

    Somente dia 15/12 ele vai retirar a sonda e espero em Deus que esse pesadelo termine.

    Tenho postado pouco,mas vim agradecer suas visitas .

    Beijos e uma semana de alegrias

    Donetzka

    Face Book:

    https://www.facebook.com/donetzka.cercck

    Twitter: @donetzka13

    Instagram: @donetzka


    http://instagram.com/donetzka

    Flickr(Minha galeria de imagens):

    https://www.flickr.com/photos/123498631@N06/

    Youtube (Meu canal):

    http://www.youtube.com/channel/UCnVpBs2C-vL6fd1BaRH3lrA/about


    Blog Magia de Donetzka



    ResponderEliminar
  12. A maior ausência é quando as 'coisas' estão junto de nós, e não estão.

    Felicidades
    MANUEL

    ResponderEliminar
  13. Olá Maria.O poeta assim escreve e por vezes nos vimos nas palavras,gosto demais deste poeta...é lindo.
    Beijinho

    ResponderEliminar

“Aqueles que passam por nós, não vão sós, não nos deixam sós. Deixam um pouco de si, levam um pouco de nós” (Antoine de Saint-Exupery).

Obrigado pela sua visita e pelo carinho que demonstrou, ao dispensar um pouco do seu tempo, deixando aqui no meu humilde cantinho, um pouco de si através da sua mensagem.