quarta-feira, 28 de maio de 2014

Estrela da tarde - Poema de Ary Santos




Era a tarde mais longa de todas as tardes que me acontecia
Eu esperava por ti, tu não vinhas, tardavas e eu entardecia
Era tarde, tão tarde, que a boca tardando-lhe o beijo morria.
Quando à boca da noite surgiste na tarde qual rosa tardia
Quando nós nos olhámos, tardámos no beijo que a boca pedia
E na tarde ficámos, unidos, ardendo na luz que morria
Em nós dois nessa tarde em que tanto tardaste o sol amanhecia
Era tarde de mais para haver outra noite, para haver outro dia.

Meu amor, meu amor
Minha estrela da tarde
Que o luar te amanheça
E o meu corpo te guarde.
Meu amor, meu amor
Eu não tenho a certeza
Se tu és a alegria
Ou se és a tristeza.
Meu amor, meu amor
Eu não tenho a certeza!

Foi a noite mais bela de todas as noites que me adormeceram
Dos nocturnos silêncios que à noite de aromas e beijos se encheram
Foi a noite em que os nossos dois corpos cansados não adormeceram
E da estrada mais linda da noite uma festa de fogo fizeram.
Foram noites e noites que numa só noite nos aconteceram
Era o dia da noite de todas as noites que nos precederam
Era a noite mais clara daqueles que à noite se deram
E entre os braços da noite, de tanto se amarem, vivendo morreram.

Meu amor, meu amor
Minha estrela da tarde
Que o luar te amanheça
E o meu corpo te guarde.
Meu amor, meu amor
Eu não tenho a certeza
Se tu és a alegria
Ou se és a tristeza.
Meu amor, meu amor
Eu não tenho a certeza!

Eu não sei, meu amor, se o que digo é ternura, se é riso se é pranto
É por ti que adormeço e acordado recordo no canto
Essa tarde em que tarde surgiste dum triste e profundo recanto
Essa noite em que cedo nasceste despida de mágoa e de espanto
Meu amor, nunca é tarde nem cedo para quem se quer tanto!


Ary dos Santos


6 comentários:

  1. Grata por me trazer à memória este excelente poema, Maria.

    Continuação de boa semana.
    Deixo um beijo e um abraço.

    ResponderEliminar
  2. Que poesia mais linda, menina. Mesmo que tarde, anestesiado no amor ficar.

    ResponderEliminar
  3. oi minha amiga,

    que lindo,
    o amor deve ser sempre lembrado,
    cantado e escrito por todos os corações...

    beijinhos

    ResponderEliminar
  4. Poema melancólico, bonito e apaixonado!
    Um grande abraço p você, Maria... Muita paz, alegrias profissionais e saúde... Bênçãos familiares!

    ResponderEliminar
  5. Minha querida

    Um dos mais belos poemas de Ary que eu adoro e tive a sorte de o ver declamar ao vivo.

    Um beijinho com carinho
    Sonhadora

    ResponderEliminar
  6. Oi querida, lindo poema! Querida, espero que sua mãe esteja bem!!
    Beijos e uma semana abençoada para vocês!!

    ResponderEliminar

“Aqueles que passam por nós, não vão sós, não nos deixam sós. Deixam um pouco de si, levam um pouco de nós” (Antoine de Saint-Exupery).

Obrigado pela sua visita e pelo carinho que demonstrou, ao dispensar um pouco do seu tempo, deixando aqui no meu humilde cantinho, um pouco de si através da sua mensagem.