quinta-feira, 10 de abril de 2014

Gota de Água - Poema de António Gedeão





Eu, quando choro,
não choro eu.
Choro aquilo que nos homens
em todo o tempo sofreu.
As lágrimas são as minhas
mas o choro não é meu.


António Gedeão






5 comentários:

  1. Maria, Maria
    É um dom, uma certa magia
    Uma força que nos alerta
    Uma mulher que merece
    Viver e amar
    Como outra qualquer
    Do planeta

    Maria, Maria
    É o som, é a cor, é o suor
    É a dose mais forte e lenta
    De uma gente que ri
    Quando deve chorar
    E não vive, apenas aguenta

    Mas é preciso ter força
    É preciso ter raça
    É preciso ter gana sempre
    Quem traz no corpo a marca
    Maria, Maria
    Mistura a dor e a alegria...

    Milton Nascimento

    Maria, Maria...
    Lindo poema que postastes aqui, amiga!
    Deixo um pouco da letra de Maria, Maria para ti!
    Lindo finde!

    Bjksss

    ResponderEliminar
  2. oi minha amiga,

    que lindo,
    e é assim mesmo que acontece,
    muitas vezes choramos lágrimas por coisas que não são nossas...

    beijinhos

    ResponderEliminar
  3. Sublime poema, bela partilha, amiga...
    Bom fim de semana, beijinhos
    Valéria

    ResponderEliminar
  4. Maria Rodrigues
    Como sempre, António Gedeão, com a gota de água, cria uma boa peça literária.
    Beijos

    ResponderEliminar

“Aqueles que passam por nós, não vão sós, não nos deixam sós. Deixam um pouco de si, levam um pouco de nós” (Antoine de Saint-Exupery).

Obrigado pela sua visita e pelo carinho que demonstrou, ao dispensar um pouco do seu tempo, deixando aqui no meu humilde cantinho, um pouco de si através da sua mensagem.