quinta-feira, 30 de janeiro de 2014

Já não Vivo, Só Penso - Poema de Fernanda de Castro




Já não vivo, só penso. E o pensamento
é uma teia confusa, complicada,
uma renda subtil feita de nada:
de nuvens, de crepúsculos, de vento.

Tudo é silêncio. O arco-íris é cinzento,
e eu cada vez mais vaga, mais alheada.
Percorro o céu e a terra aqui sentada,
sem uma voz, um olhar, um movimento.

Terei morrido já sem o saber?
Seria bom mas não, não pode ser,
ainda me sinto presa por mil laços,

ainda sinto na pele o sol e a lua,
ouço a chuva cair na minha rua,
e a vida ainda me aperta nos seus braços.


Maria Fernanda Telles de Castro e Quadros

Blog:Fernanda de Castro



8 comentários:

  1. Oi maria
    Uauuuu Que poema intenso de profundo sentimento. Belíssimo!!!!!!
    Beijos

    ResponderEliminar
  2. Ainda bem que a Vida ainda se faz sentir. Sinal de que nem tudo está perdido.
    Poetisa sensível, a Fernanda de Castro!

    Obrigada, Maria, por trazê-la com este lindo poema.

    Beijinhos

    Olinda

    ResponderEliminar
  3. Bom dia amiga que poema lindo que penetrou fundo em minha alma,são poemas assim que me falam muito de perto ao coração parabens por sua bela escolha desejo a voce um belo final de semana bjs marlene

    ResponderEliminar
  4. Com esta quadra venho aqui,
    Bom fim de semana te desejar
    Amiga Maria, escrevi para ti
    Com todos os versos a rimar,

    Gosto mais de escrever assim,
    Explicar, não sei porquê
    A felicidade e o amor não tenham fim
    Tudo de muito bom desejo para você!
    Um beijo
    Eduardo.

    ResponderEliminar
  5. Bela escolha Maria.
    Quisera eu ser poeta para escrever tão lindo poema
    Que de tão lindo faz até doer o coração, como se eu estivesse vivendo esta situação.
    beijinhos, Léah

    ResponderEliminar
  6. Amiga Maria!
    Um poema lindo e com muito sentimento.
    Força para esse momento de doença com a sua mãezinha e torço para que ela melhore.
    Boa semana.
    Beijinhos.

    ResponderEliminar

“Aqueles que passam por nós, não vão sós, não nos deixam sós. Deixam um pouco de si, levam um pouco de nós” (Antoine de Saint-Exupery).

Obrigado pela sua visita e pelo carinho que demonstrou, ao dispensar um pouco do seu tempo, deixando aqui no meu humilde cantinho, um pouco de si através da sua mensagem.