quinta-feira, 23 de janeiro de 2014

A Pedra - Poema de Fernanda de Castro



Deus fez a pedra rude, a pedra forte,
e depois destinou: -Serás eterna.
Mostrarás a altivez de quem governa,
Não ousará tocar-te a própria morte.

E a pedra julgou linda a sua sorte.
Foi palácio, foi templo, foi caverna,
foi estátua, foi muralha, foi cisterna,
viveu sem coração, sem fé, sem norte.

Mas viu morrer o infante, o monge, a fera,
o herói, o artista, a flor, a fonte, a hera,
e humildemente quis também morrer.

Não grita, não se queixa, não murmura,
guarda a mesma aparência hostil e dura
mas sofre o mal de não poder sofrer.

Maria Fernanda Teles de Castro e Quadros Ferro
Blog: Fernanda de Castro


4 comentários:

  1. Maria...penso que há muito ser humano que...
    tem muito de pedra!!! Bjs

    ResponderEliminar
  2. Os meus parabéns!!!!
    Está de facto maravilhoso!!!!
    bj
    anacosta

    ResponderEliminar
  3. Lindo poema, viver e morrer, eis a lei da vida!
    Abraços e espero que esteja tudo bem contigo e que sua mãe esteja melhor!

    ResponderEliminar
  4. Todos os seres tem a sua beleza e glamour. Versos soberbos e magistrais.
    Passando para matar as saudades e deixar o meu carinho. Um magnífico final de semana
    Beijinhos com ternura e afeto

    ResponderEliminar

“Aqueles que passam por nós, não vão sós, não nos deixam sós. Deixam um pouco de si, levam um pouco de nós” (Antoine de Saint-Exupery).

Obrigado pela sua visita e pelo carinho que demonstrou, ao dispensar um pouco do seu tempo, deixando aqui no meu humilde cantinho, um pouco de si através da sua mensagem.