sábado, 28 de setembro de 2013

Talvez - Poema Pablo Neruda




Talvez não ser,
é ser sem que tu sejas,
sem que vás cortando
o meio dia com uma
flor azul,
sem que caminhes mais tarde
pela névoa e pelos tijolos,
sem essa luz que levas na mão
que, talvez, outros não verão dourada,
que talvez ninguém
soube que crescia
como a origem vermelha da rosa,
sem que sejas, enfim,
sem que viesses brusca, incitante
conhecer a minha vida,
rajada de roseira,
trigo do vento,

E desde então, sou porque tu és
E desde então és
sou e somos...
E por amor
Serei... Serás...Seremos...


Pablo Neruda 



12 comentários:

  1. Oi Maria,
    Boa noite
    Linda poesia de muito bom gosto
    Que tenho uma linda noite!
    Lua Singular

    ResponderEliminar
  2. Belissima como tudo que ele escreve...Parabéns

    ResponderEliminar
  3. Mariamiga

    Pablo Neruda é... Pablo Neruda. Nem precisava de ser Nobel para ser Neruda. Poeta grande, enorme, este chileno deixou de o ser, pois tornou-se universal. A poesia em castelhano enriqueceu-se com ele; o amor também. Um poema que encerra versos como este:

    ...sem que viesses brusca, incitante
    conhecer a minha vida,
    rajada de roseira,
    trigo do vento,
    tem de ser Homem misturado com Amor, E naturalmente ligado a uma Mulher. Por isso

    Talvez não ser,
    é ser sem que tu sejas,
    sem que vás cortando
    o meio dia com uma
    flor azul,


    Cortar o meio dia com uma flor azul - é extraordinário. Por tudo isso, amo Neruda.

    Obrigado Maria pela tua escolha e publicação. Se pudesse fazia versos como estes para ti....

    Qjs

    Henrique

    ResponderEliminar
  4. BOA NOITE AMIGA QUERIDA !
    AS DÚVIDAS DEIXAM SEMPRE ...TALVEZ !
    MINHA IMAGINAÇÃO ESTÁ POR ENTRE AS ENTRELINHAS DO POEMA ...
    BJSSSSSSSSS

    ResponderEliminar
  5. PRECIOSOS VERSOS.
    SALUDOS ABRAZOS Y FEKIZ FIN DE SEMANA

    ResponderEliminar
  6. Poema intrigante este, de Pablo Neruda.
    Mas ressalta uma coisa muito importante: dois seres num só, num almejado sonho de Amor.

    Bom fim de semana, querida Maria.

    Bj

    Olinda

    ResponderEliminar
  7. Falar de amor com Neruda, só mesmo Neruda, poema que emociona.
    Parabéns pela escolha.
    beijos,
    Léah

    ResponderEliminar
  8. Neruda é excecional e só ela, a seu jeito, escreve dessa forma.
    Gostei imenso de ler este poema.
    Abraço cá do Algarve.
    http://umraiodeluzefezseluz.blogspot.com

    ResponderEliminar
  9. Querida que coisa mais linda! Neruda tece poemas de amor como ninguém.Adorei! Bjs Eloah

    ResponderEliminar
  10. Olá Maria bom dia!
    Neruda é de facto a escolha perfeita para quem ama o amor....
    Beijos amiga
    anacosta

    ResponderEliminar
  11. Que bela escolha! As palavras de Neruda penetram na alma e despertam a sensibilidade. Bjs.

    ResponderEliminar

“Aqueles que passam por nós, não vão sós, não nos deixam sós. Deixam um pouco de si, levam um pouco de nós” (Antoine de Saint-Exupery).

Obrigado pela sua visita e pelo carinho que demonstrou, ao dispensar um pouco do seu tempo, deixando aqui no meu humilde cantinho, um pouco de si através da sua mensagem.