quinta-feira, 25 de abril de 2013

25 de Abril



Vampiros

No céu cinzento sob o astro mudo
Batendo as asas Pela noite calada
Vêm em bandos Com pés veludo
Chupar o sangue Fresco da manada
Se alguém se engana com seu ar sisudo
E lhes franqueia As portas à chegada
Eles comem tudo Eles comem tudo
Eles comem tudo E não deixam nada
A toda a parte Chegam os vampiros
Poisam nos prédios Poisam nas calçadas
Trazem no ventre Despojos antigos
Mas nada os prende Às vidas acabadas
São os mordomos Do universo todo
Senhores à força Mandadores sem lei
Enchem as tulhas Bebem vinho novo
Dançam a ronda No pinhal do rei
Eles comem tudo Eles comem tudo
Eles comem tudo E não deixam nada
No chão do medo Tombam os vencidos
Ouvem-se os gritos Na noite abafada
Jazem nos fossos Vítimas dum credo
E não se esgota O sangue da manada
Se alguém se engana Com seu ar sisudo
E lhe franqueia As portas à chegada
Eles comem tudo Eles comem tudo
Eles comem tudo E não deixam nada
Eles comem tudo Eles comem tudo
Eles comem tudo E não deixam nada

Zeca Afonso




No dia 25 de Abril de 1974 os cravos foram o símbolo e a música o código para um novo amanhã, renascia a esperança de um futuro em plena liberdade.

6 comentários:

  1. Olá Maria, que belíssima forma de lembrar o 25 de Abril de 1974 que tanto significou para todos nós quebrando uma escuridão que parecia não mais acabar! Que a esperança na liberdade que renasceu nesse dia maravilhoso (eu estive no Largo do Carmo:)) se mantenha bem viva nos nossos corações. E José Afonso, a voz, que jamais poderemos esquecer e dissociar dos ideias de Abril. Beijinhos Ailime (num cantinho novo faço uma alusão a esta data também com José Afonso)

    ResponderEliminar
  2. Gostei de saber um pouco mais da história de Portugal de uma maneira poética!

    Liberdade, revolução que trouxe um novo tempo!!

    Abraços neste 25/abril!...

    ResponderEliminar
  3. Maria linda homenagem ao 25 de Abril!
    Esta noite o Zeca esteve bem presente nas comemorações do 25 de Abril na Marinha Grande, foram as dele as canções que mais se cantaram.

    beijinho e uma flor

    ResponderEliminar
  4. Olá minha querida, temos mais um 25 de Abril a passar e já lá vão 39, nessa data andava eu sei rei nem roque de bariga cheia com sete meses de gestação para vir a nascer o meu filhote a 23 de Julhos.
    Há amiga quanta agonia me veio trazer esse tempo que que logo em Maio se findou a minha mãezinha e eu sem poder acompa-la até à sua última morada, sem trabalho nem eu nem o meu marido e as pobres Indeminizações que tanto tardavam a quem todos os dias tinha de comer e demais enfim
    tudo já foi o ontem e o amanhã virá, querida espero que a sua mãezinha esteja melhor...deixo os meus beijinhos de luz e muita paz na sua vida.
    PS:beijinhos especiais sempre.

    ResponderEliminar
  5. Amiga ainda voltei para lhe dizer que adorei o visual está mui-lindo.

    ResponderEliminar
  6. Que poema maravilhoso para o dia de Hoje...
    Para não esquecer nunca...
    25 de Abril...sempre
    Beijo

    ResponderEliminar

“Aqueles que passam por nós, não vão sós, não nos deixam sós. Deixam um pouco de si, levam um pouco de nós” (Antoine de Saint-Exupery).

Obrigado pela sua visita e pelo carinho que demonstrou, ao dispensar um pouco do seu tempo, deixando aqui no meu humilde cantinho, um pouco de si através da sua mensagem.